Santa Catarina está entre os três estados brasileiros que disputam a instalação de uma fábrica de automóveis Mercedes-Benz. Se o Estado for escolhido, a região Norte é a que tem mais chances de abrigar a montadora, a exemplo do que ocorreu, antes, com a BMW.

A afirmação, do chefe de gabinete da Secretaria do Estado de Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDS), Christiano Lopes de Oliveira, não é confirmada pelo secretário da pasta, Paulo Bornhausen.

O assunto tem sido tratado com extrema cautela pelo governo de SC, que tem um contrato de confidencialidade com a montadora alemã. Desde que representantes da Mercedes-Benz visitaram pela segunda vez o Estado, em maio deste ano, o governo catarinense evita comentar sobre o andamento das negociações.

Mesmo com essa cautela, provocada pela pressão de trabalhadores do setor em São Paulo, onde a Mercedes-Benz tem uma unidade em São Bernardo do Campo que produz caminhões, chassis de ônibus e agregados, Oliveira afirma que Santa Catarina tem a seu favor a recente experiência com a também alemã BMW. Segundo ele, a última reunião entre o governo do Estado e os representantes da Mercedes-Benz foi há cerca de 20 dias, em Florianópolis.

— O modelo de contrato com o BRDE que vai dar garantia ao empreendimento da BMW, os estudos que se fez de mercado e qualificação, todo esse material está sendo utilizado para as conversas com a Mercedes, com a segurança que com a BMW deu certo e tem dado até o momento — explica Oliveira.

Apesar de destacar o Norte como preferência da montadora, o chefe de gabinete da SDS comenta que não há um município definido para representar o Estado. Bornhausen lembra que em uma reunião com representantes da Mercedes-Benz, no início de maio, eles colocaram como limite geográfico para possíveis investimentos as cidades localizadas entre Itajaí e Garuva.

Decisão da grife alemã deve sair até o final deste ano

Competindo com SC nesta reta final estariam São Paulo e Minas Gerais, estados que possuem unidade fabril de caminhões da grife alemã — em Juiz de Fora (MG), a montadora chegou a possuir uma fábrica de automóveis. A assessoria de imprensa da Mercedes-Benz do Brasil, contudo, informa que outras regiões do país também fazem parte do circuito percorrido por representantes da companhia, entre elas o Rio de Janeiro.

Em uma palestra na abertura da 1ª Semana Estadual do Jovem Empreendedor, promovida pelo Conselho Estadual do Jovem Empreendedor de SC (Cejesc), em Palhoça, Oliveira disse que o assunto está sendo tratado com sigilo pelo governo, mas que a Mercedes-Benz não abriria mão de Joinville — no caso de bater o martelo por Santa Catarina — e que as chances do Estado eram grandes.

A montadora, através da assessoria de imprensa, se limita a informar que está avaliando a possibilidade de voltar a produzir automóveis no Brasil e que as visitas às regiões fazem parte do estudo de viabilidade técnica. O grupo espera ter uma definição ainda este ano sobre o novo investimento.

História da estrela

Origem do símbolo
A marca atual é uma evolução do logotipo da estrela de três pontas envolta por uma coroa de louros criado em 1925 – fusão entre a estrela utilizada pela Daimler-Motoren-Gesellschaft (DMG) e a coroa que era marca registrada da então concorrente Benz & Cie.

Unidades no Brasil

— São Bernardo do Campo (SP): unidade que começou a operar em 1956 e que fabrica caminhões, chassis de ônibus e agregados como motores, câmbios e eixos;
— Juiz de Fora (MG): inaugurada em 1999, produz caminhões;
— Campinas (SP): concentra as atividades de pós-venda da empresa, como a assistência técnica.

Fonte: Mercedes-Benz