Com a pauta de reivindicações bem definida, os manifestantes de Tubarão entregaram um documento ontem ao prefeito Olavio Falchetti; ao vice, Akilson Machado, e na Câmara de Vereadores. Entre os temas centrais estão saúde, educação, mobilidade urbana, transparência e lazer/cultura.

Segundo o Jornal Diário do Sul, na última segunda-feira, os manifestantes decidiram que as reivindicações seriam voltadas ao âmbito municipal, sem esquecer do estadual e do nacional. “Com este documento, queremos definições de prazos, datas e respostas detalhadas. Pedimos que no dia 12 de julho, em local público, a prefeitura se manifeste para que todos possam ouvir. Já conseguimos mostrar, nas manifestações anteriores, o poder que os tubaronenses têm”, explica a líder do movimento, Júlia D’Espíndola Venâncio.

O grupo reuniu-se em frente ao Museu Willy Zumblick em direção à prefeitura, por volta das 18h30, onde foi recebido por Olavio no Paço Municipal ao som do Hino Nacional Brasileiro e do Hino de Tubarão. Segundo o prefeito, justiça, ética e transparência fazem parte do governo municipal, que está aberto a escutar as reivindicações da população. “Estamos sempre à disposição para ouvir os tubaronenses. Não queremos esconder absolutamente nada de ninguém e isso irá ocorrer nos quatro anos de governo. A nossa maior obra é a moralidade”, explica Olavio.

Da prefeitura, o grupo seguiu até a Câmara de Vereadores. A sessão foi suspensa por 15 minutos para que os representantes do manifesto pudessem explanar rapidamente sobre cada item reivindicado. O documento foi entregue e o mesmo prazo foi estabelecido para que os edis deem uma resposta aos manifestantes. “Sabemos que os vereadores têm o poder de fiscalizar o que é feito pelo Executivo. E é isso que estamos pedindo: que ajudem a fiscalizar”, argumenta um dos líderes, João Marcos Soares.

Nos cinco pontos estabelecidos (saúde, educação, mobilidade urbana, transparência e lazer/cultura), alguns itens específicos serão cobrados, como a UPA, os postos de saúde, Centro de Zoonoses, valorização dos professores, acessibilidade, Arena Multiuso, entre outros.

Outros protestos devem ocorrer, de acordo com Júlia, mas ainda não há datas definidas. Para manter os tubaronenses informados sobre o andamento dos protestos, os líderes do movimento criaram uma página no Facebook – Manifestos Tubarão/SC –, que servirá como canal de comunicação e onde serão divulgadas as ações que ocorrerem na Cidade Azul.