Foto: Renam Meinein/Ric Record
Foto: Renam Meinein/Ric Record

O Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco) de Criciúma cumpriu, nessa manhã, três mandados de prisão temporária e três mandados de busca e apreensão na prefeitura de Morro da Fumaça. Os mandados foram expedidos pela 2ª Vara da Comarca de Urussanga, atendendo a requerimento do Ministério Público de Santa Catarina (MPSC).

As diligências dizem respeito a procedimento de investigação criminal que tramita na 2ª Promotoria de Justiça de Urussanga com o intuito de apurar a apropriação de dinheiro público, crimes da lei de licitações e crimes de falsidade, praticados na Administração Pública municipal em contratações dos serviços de limpeza de ruas e de roçada.

Foram presos dois agentes públicos e um empresário de Morro da Fumaça. Além disso, em decisão judicial, foi determinado o afastamento do cargo do Secretário Municipal de Obras, pelo prazo de 90 dias, e a proibição de seu acesso às dependências da prefeitura e aos demais locais onde exerce suas funções.

Nesta tarde, por meio da assessoria de imprensa, a prefeitura de Morro da Fumaça emitiu uma nota oficial sobre o caso.

Acompanhe abaixo, na íntegra, o comunicado:

O Município de Morro da Fumaça recebeu na manhã de hoje, 19 de outubro, a visita do Grupo de Atuação Especial ao Crime Organizado (GAECO). O Grupo cumpriu mandado de busca e apreensão de documentos relativos ao contrato de uma empresa prestadora de serviços, que possui vinculo com o Município desde 2009.

No mesmo instante a administração municipal colocou servidores a disposição dos policiais e toda a documentação solicitada foi disponibilizada de imediato. Houve a prisão preventiva de um servidor vinculado a secretaria de obras para esclarecimentos. As demais prisões são de pessoas de fora do atual quadro de servidores. No mais a administração se colocou a disposição para contribuir com as investigações.

Ascom MPSC