Em menos de uma semana, a Polícia Civil de Jaguaruna elucidou o assassinato de Denilce do Nascimento, 33 anos, morto na última sexta-feira. O corpo do agricultor foi encontrado na caçamba da própria caminhonete, no balneário Dunas do Sul, com um tiro de revólver calibre nove milímetros na nuca.

A investigação iniciou logo em seguida ao crime. Com informações sobre os suspeitos, a polícia pediu à justiça a prisão temporária. Com o mandado expedido, foram presos e interrogados dois homens, de 30 e 52 anos. Familiares e testemunhas foram ouvidos, e uma delas foi fundamental.
Segundo uma das testemunhas, poucas horas antes do crime a vítima teria telefonado e dito: “Negão, to indo lá no Campo Bom levar dois caras porque a moto deles furou o pneu. Caso eu não te ligar até as 18 horas, tu vai na polícia porque eles me mataram”.

O mais velho confessou participação no crime, afirmou que auxiliou na retirada e ocultação do corpo da vítima. Mas justificou que o comparsa mais novo foi quem efetuou o disparo e o mentor do crime.
A polícia concluiu que o crime foi premeditado. Os suspeitos eram conhecidos da vítima, procuraram Denilce na casa dele e solicitaram uma carona, alegando que o pneu da moto em que estavam havia furado. O agricultor foi executado na estrada geral do Arroio Corrente, o corpo foi ocultado na caçamba do veículo e transportado até Dunas do Sul, onde o carro foi abandonado.