A Polícia Federal deflagrou na manhã desta quinta-feira (9) a operação Perfídia.  Um mandado de prisão e oito de busca e apreensão foram cumpridos em Criciúma, Cocal do Sul e Urussanga, a suspeita de desvio de mais de R$ 10 milhões no pagamento de ações trabalhistas.

De acordo com a PF, a suspeita é que há oito anos, desde 2010, ocorre um esquema fraudulento na 2ª Vara do Trabalho de Criciúma. Valores altos depositados em contas bancárias vinculadas a processos trabalhistas eram desviados, com suspeita de participação de servidores públicos, empresas e pessoas físicas.

Um servidor público teve o afastamento cautelar determinado enquanto ocorrem as investigações. A Justiça também determinou o bloqueio de bens e valores dos investigados para reparação dos danos. Os investigados poderão ser indiciados pela prática dos crimes de peculato e formação de organização criminosa, com penas de 20 anos de prisão. Participaram da operação mais de 30 policiais.

O nome Perfídia, faz referência ao ato de deslealdade cujos indícios indicam que teria sido praticado pelos servidores públicos investigados, que ocupavam cargos de confiança, mas teriam agido com dissimulação e traído a confiança neles depositada.

Colaboração: Comunicação Polícia Federal