Criciúma- Está concluída a investigação sobre os ataques praticados no início de fevereiro deste ano em Criciúma, com a prisão de todos os envolvidos nos crimes e integrantes de facções criminosas. No início do mês passado, a cidade, uma das maiores do sul do Estado, teve dois ônibus do transporte coletivo incendiados e um ataque a tiros contra a casa de uma Policial Civil. Desde o início das investigações, 9 pessoas foram presas por envolvimento nos ataques, sendo três adolescentes. Todos integram uma facção criminosa que atua dentro e fora dos presídios do Estado.

Prisões
A última prisão aconteceu nesta sexta-feira (1°), quando Fernando Roosevelt Peres da Silva, 28 anos, apelido “Boquinha”, foi detido pela Polícia Militar numa blitz de trânsito. Ao chegar na Delegacia, foi reconhecido pelos investigadores como sendo o líder, em Criciúma, da facção criminosa que ordenou os ataques. Ele já vinha sendo investigado em inquérito policial, suspeito de ser o mentor dos dois atentados contra os ônibus e contra a casa da Policial Civil. Na casa do preso, no bairro São Francisco, foi apreendida uma pedra grande de crack, de aproximadamente 20g, sendo autuado em flagrante por tráfico de drogas.

Além de Fernando, os Policiais Civis de Criciúma também prenderam, em 8 de fevereiro, o principal comparsa dele: Volnei Hercílio Goulart, 46 anos, o “Chapecó”. Este, além de alugar a casa para os integrantes das facções criminosas também participava das reuniões onde as ordens para os ataques eram repassadas e as estratégias criminosas definidas.

Os ataques
O primeiro veículo foi queimado no dia 1° do mês passado, no bairro Jardim União, quando dois homens renderam o motorista e depois de pararem o ônibus, atiraram garrafas com combustível dentro do veículo. O segundo ataque contra o transporte coletivo aconteceu sob as mesmas circunstâncias, dessa vez, no bairro Renascer, um dia depois do primeiro registro. Ainda na noite do dia 2 de fevereiro, vários disparos de arma de fogo foram efetuados contra a casa de uma Policial Civil. Ninguém se feriu.

Outros presos pela equipe de Criciúma foram:
_ Acauan Araújo, 21 anos, suspeito de ater fogo num dos ônibus e de atirar contra a casa da Policial Civil foi preso no dia 3 de fevereiro. Dois adolescentes, de 16 anos, foram apreendidos e levados para o Centro de Atendimento Sócio Educativo Provisório- Casep, por estarem envolvidos diretamente na execução dos ataques.

_ Rafael Alan Millnitz, 18 anos, natural de Joinville. Na residência dele, no bairro Vila Zuleima, foi apreendido um revólver calibre .32 e 500g de maconha. Ele confessou que, juntamente com um adolescente de 15 anos, já apreendido, ateou fogo no ônibus que fazia a linha Jardim União.

_ Em 8 de fevereiro, em Jaguaruna, foi preso em cumprimento a mandado de prisão preventiva, Hilton Jeferson Reis, 27 anos, o “Tinho”. Na companhia de um agente prisional, eles portavam drogas e foram presos em flagrante por tráfico. Além de estar cumprindo pena no regime aberto do Presídio Regional de Criciúma, mesmo local onde atuava o agente prisional preso com ele, “Tinho” também integrava uma facção criminosa.

Ele é suspeito de ser o responsável por montar na cidade de Criciúma, uma base de atuação da facção criminosa que ordenou os ataques. Na casa dele, foi cumprido um mandado de busca e apreensão e apreendida uma espingarda calibre .12 que havia sido furtada de uma loja de Içara. A mulher dele, Valéria Luiza Platen Alexandre, 25 anos, natural de São José, também foi autuada em flagrante pelos crimes de receptação e posse irregular de arma.

Para o Delegado da Divisão de Investigações Criminais, DIC de Criciúma, André Milanese, que coordenou as investigações, o sucesso dos trabalhos foi graças ao empenho e união de todos os Policiais Civis da região. “Com estas prisões, acreditamos ter desarticulado qualquer tentativa mais sólida de instalação desta facção criminosa na nossa cidade”, disse.

Krislei Oechsler
Assessoria de Imprensa
Polícia Civil de Santa Catarina