O maior carregamento de drogas apreendido pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) em Santa Catarina, nos últimos cinco anos, teria como destino o Rio Grande do Sul. A hipótese é levantada pela Polícia Civil de SC.

A polícia acredita que os 533 quilos de maconha, os 6,2 quilos de cocaína e os 2,1 quilos de crack estariam a caminho do principal polo consumidor de drogas do RS: a região de Caxias do Sul.

A carga foi apreendida nesta terça-feira durante a Operação Divisas, na BR-116, região de Mafra, Planalto Norte de SC. De acordo com a Polícia Civil, a rota escolhida para o transporte a partir de Mafra seria Lages, Vacaria (RS) e Caxias.

A carga estava dividida em tabletes com adesivos com a inscrição Made in Cochabamba e a bandeira da Bolívia, segundo maior país produtor de cocaína no mundo.

O prejuízo do narcotráfico com a apreensão da PRF/SC gira em torno de R$ 1 milhão se considerado valores de venda no varejo, de acordo com a polícia.

O golpe no tráfico de drogas é resultado da Operação Divisas da PRF/SC, organizada para combater o crime organizado. A operação começou no dia 16 de fevereiro e segue por tempo indeterminado.

Estratégia da PRF/SC é determinante para apreensão

A escolha de um ponto estratégico da BR-116, pela PRF, para montar uma barreira foi determinante para a apreensão do carregamento.

O batedor, homem responsável que fica a cerca de um quilômetro do veículo que transporta a carga para avisar por rádio ou celular sobre eventuais bloqueios na estrada, não viu a tempo os policiais rodoviários federais.

A rodovia BR-116 é uma das rotas escolhidas pelo tráfico nacional e internacional para o transporte de entorpecentes em SC.

À bordo de um Fiat Siena com placas de Porto Alegre (RS) e trafegando no sentido Oeste-Leste do Estado, o batedor foi abordado pela PRF, por volta das 21h desta terça-feira.

Conforme o inspetor Luciano Crisafulli, delegado regional da PRF em Mafra, o batedor contou histórias desconexas para os policiais, que notaram seu nervosimo durante a abordagem. O homem foi preso em flagrante por tráfico e associação ao tráfico, conforme a Polícia Federal.

De repente, uma caminhonete Ford F-350 com placas de Ponta Porã (MS) se aproximou em velocidade incomum para aquele trecho. Quando recebeu ordem de parar, o motorista da F-350 jogou o veículo em direção aos policiais e fugiu.

Entre a fuga e a perseguição policial, o motorista entrou em um matagal, abandonou a caminhonete e saiu correndo. Até a tarde desta quarta-feira, ele não havia sido capturado.

No celular encontrado pela polícia na F-350 havia ligações do celular apreendido com o batedor. A PRF encontrou a carga em um fundo falso na F-350.

— Para o narcotráfico é um prejuízo muito grande, pela quantidade da droga apreendida. Para a PRF, é um excelente resultado porque está conseguindo atingir o objetivo da operação que é combater o crime organizado — observou o inspetor Luciano Crisafulli.

O batedor, Heli Oliveira Cimas, natural de Dourados (MS) foi preso em flagrante por tráfico e associação ao tráfico, conforme a Polícia Federal. Heli foi transferido para o Presídio de Joinville. A investigação será conduzida pela Polícia Federal de Joinville.

DIÁRIO CATARINENSE