A Coordenadoria Estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar (Cevid) do Poder
Judiciário de Santa Catarina (PJSC), promoveu na tarde desta sexta-feira (22/4) um ato de entrega da campanha Dignidade Menstrual feita pela desembargadora Salete Silva Sommariva, coordenadora da Cevid. A entrega de 4.800 absorventes descartáveis, arrecadados
pelo judiciário catarinense durante o mês de março, foi feita para a Casa da Infância, de Criciúma, e irá beneficiar as famílias atendidas pela entidade.

​Durante a entrega, a desembargadora destacou a importância de tais iniciativas para prevenir
e minimizar, dentre outras coisas, a evasão escolar, quando jovens deixam de ir à escola por estarem no período menstrual e sem acesso aos itens de higiene necessários. “É importante as meninas irem ao colégio e não se intimidarem”. A campanha arrecadou 60
mil absorventes em todo o Estado com doações de magistrados e servidores. A iniciativa, organizada pela Cevid e a Diretoria de Saúde, do TJSC, buscou, além de arrecadar absorventes, dar visibilidade às questões relacionadas à pobreza menstrual e combater a
desinformação sobre o tema.

A presidente da Casa da Infância, Almerinda Tereza Bianca Bez Batti Dias, agradeceu pela entidade
ser beneficiada pela doação do PJSC. “São 73 assistidos pela Casa, de 40 famílias, sendo a maioria chefiada por mulheres e para elas será muito bom receber essa doação. Agradecemos muito por termos a oportunidade de fazer esse item chegar a elas”. A Casa,
que completará quatro anos de atividades em junho, presta atendimento a crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social, bem como grupo familiar e comunitário.

O prefeito de Criciúma, Clésio Salvaro, enalteceu a iniciativa do Judiciário catarinense e destacou
que a ação vem a somar tudo o que o governo municipal tem feito em prol de educação e assistência social. “É uma ação de inclusão social”. Também presente no evento, a vereadora Giovana Mondardo, destacou a iniciativa da corte catarinense, na arrecadação expressiva
de absorventes, mas também pela ampla discussão sobre o tema pobreza menstrual. “Menstruação é algo natural e se não falarmos disso, alguém vai ter que abrir mão de comprar um absorvente para comprar um alimento. Essa é a realidade e também reforça a importância
da intensificação dessa pauta”. A vereadora é autora da lei municipal que institui diretrizes para a Política Pública Menstruação Sem Tabu, de conscientização sobre a menstruação e a universalização do acesso a absorventes higiênicos no município.

Também estiveram presentes a deputada federal Geovania de Sá, o secretário de assistência social
do município Bruno Ferreira, representantes da Casa da Infância, da administração municipal e da Cevid do PJSC.