Os estudantes de escolas públicas do ensino fundamental, médio e de graduação estão recebendo essa semana a última parte do projeto de Oficina de Educação Patrimonial. Um varal foi instalado nas instituições para que os alunos tenham acesso aos desenhos desenvolvidos durante a ação. Foram 6 turmas atendidas, com quase 100 pessoas impactadas diretamente entre professores e alunos, de várias idades.

Durante os meses de março e abril, os alunos das instituições de ensino do município de Orleans, visitaram “in loco” monumentos e locais de memória da cidade. Uma atividade de observação, com exercícios de percepção visual foi desenvolvida o que resultou em desenhos que estão em exposição durante essa semana.

Conforme a museóloga Valdirene Böger Dorigon, que ministrou as oficinas, a oficina busca chamar atenção dos lugares enquanto memória e preservação cultural. “Tratamos dos tipos de patrimônio, as formas de proteção, a importância da preservação, exemplos de patrimônios culturais do município de Orleans e a utilização da educação patrimonial”, explicou Valdirene.

O projeto foi selecionado pelo Edital Aldir Blanc/SC 2021, executado com recursos do Governo Federal de Emergência Cultural, por meio da Fundação Catarinense de Cultura (FCC).

A estudante, Verônica Luciano, de 45 anos, faz parte da turma do EJA (Educação para Jovens e Adultos), e mora em Orleans a 10 anos. Ela participou da visita a Praça Celso Ramos, e segundo ela, pouco conhecia sobre os monumentos que fazem parte do cenário da Praça, e que ajudam a contar a história do município. “A oficina nos ajuda a prestar mais atenção nos lugares por onde passamos. A olhar os detalhes”, comentou Verônica.
A colega de sala de aula de Veronica, Patricia Bardini, de 31 anos, mora em Orleans há quatro anos, e diz que sempre passa pela Praça, mas que não quer também não prestava atenção nos detalhes. “Nunca parei para ver. E a oficina foi importante para aprender, para saber e entender o que cada monumento significa”, diz Patrícia.

Metodologia
A oficina foi dividida em dois momentos. O primeiro em sala de aula, uma introdução teórica tratando do patrimônio cultural. Num segundo momento eles são levados para rua. Para observar lugares espaços que ajudem a contar a história do município. Lugares como o monumento Conde D’Eu, as Esculturas do Paredão do Zeca Diabo, o Museu ao Ar Livre Princesa Isabel e a Praça Celso Ramos, localizada no Centro de Orleans.

Escolas participantes
Escola Educação Básica Cônego Santos Sprícigo – 5º ano Ensino Fundamental;
Escola Educação Básica Cônego Santos Sprícigo – 6º ano Ensino Fundamental;
Escola Educação Básica Toneza Cascaes – 1º ano Ensino Médio (turma 103);
Escola Educação Básica Toneza Cascaes – Alunos do 1º ano Ensino Médio (disciplinas eletivas);
Curso de Pedagogia do UNIBAVE – 1ª fase;
Educação de Jovens e Adultos (Eja) de Orleans.