O estado de Nova York, nos Estados Unidos, derrubou praticamente todas as restrições de prevenção à Covid-19, após atingir o índice de mais de 70% da população adulta vacinada com a primeira dose de um imunizante contra a doença.

Medidas como a limitação de pessoas e capacidade, distanciamento social, desinfecção, triagem de sintomas e rastreio de contatos agora são opcionais para comércios, restaurantes, academias, salões, barbearias e outras atividades.

No anúncio, realizado nesta terça-feira (15), o governador Andrew Cuomo ressaltou que o estado tem o menor índice de positividade para Covid-19 do país. Além disso, Nova York atingiu o índice de 70% de adultos vacinados antes do previsto.

“Aplicamos mais de 20 milhões de vacinas, maior índice per capita entre os grandes estados dos Estados Unidos. Parabéns aos nova-iorquinos porque foram eles que fizeram isso”, disse Cuomo.

“Não estamos mais apenas sobrevivendo – estamos prosperando. Os decretos estaduais que se provaram certos e nos guiaram ao longo dessa semana estão relaxados a partir de hoje, com efeito imediado”, afirmou o governador.

Houve queima de fogos no estado para comemorar a volta à vida ‘normal’.

Medidas que seguem

As máscaras de proteção seguem obrigatórias apenas para pessoas que não estão imunizadas. Quem não se vacinou também deve apresentar teste negativo para Covid-19 para entrar em alguns eventos.

Além disso, as medidas continuam a valer nos eventos internos com mais de 5 mil pessoas, transporte público, escolas para crianças até 12 anos, abrigos para pessoas em situação de rua, sistema penitenciário, abrigos de idosos e todos os equipamentos de saúde.

Nova York foi durante afetada pelo coronavírus e se tornou um epicentro da doença em 2020. O estado registra 2,11 milhões de casos e 52.993 mortes pela doença, segundo levantamento do New York Times.

O Estados Unidos retirou a obrigatoriedade máscaras e distanciamento para pessoas completamente vacinadas em 13 de maio. O país tem 44,4% da população imunizada e mais de 312 milhões de doses aplicadas, conforme o Our World in Data.

Via Diário do Nordeste