A presidente Dilma Rousseff oficializou nesta sexta-feira trocas em três ministérios: Moreira Franco (PMDB-RJ) irá para a Aviação Civil, o deputado federal Antônio Andrade (PMDB-MG) para Agricultura e o catarinense Manoel Dias (PDT) para o Trabalho.
As mudanças fazem parte da reforma ministerial da presidente. Maneca, como é mais conhecido, substituirá Brizola Neto, desafeto de Carlos Lupi, presidente do PDT e demitido por Dilma após denúncias de irregularidades em 2011.
A troca por um aliado de Lupi visa garantir apoio do partido à presidente na eleição presidencial de 2014. Já as vagas para o PSD de Gilberto Kassab só deverão ser anunciadas no mês que vem.
Secretário-geral do PDT nacional, Maneca Dias tem 74 anos. A vida política do catarinense iniciou aos 18 anos no Partido Trabalhista Brasileiro (PTB). Dois de seus mandatos foram cassados durante a ditadura — de vereador em Içara, em 1964, e de deputado estadual, em 1966. Ele teve seus direitos políticos cassados por dez anos.
Com a anistia, em 1979, o criciumense ajudou Leonel Brizola a fundar o Partido Democrático Trabalhista (PDT). Nas últimas eleições, Maneca concorreu a vice governador na chapa de de Angela Amin. Não foram eleitos, mesmo tendo a educação e o trabalho como bandeiras.
A Secretaria de Assuntos Estratégicos, a cargo de Moreira, não será ocupada pelo PMDB: ficará com o interino da pasta. Devido à viagem de Dilma a Roma, as posses ocorrerão neste sábado, no Palácio do Planalto. A troca de Mendes Ribeiro por Andrade faz parte de um pagamento pelo apoio do PMDB mineiro à candidatura de Patrus Ananias para Prefeitura de Belo Horizonte na eleição de 2012.

DIÁRIO CATARINENSE