O homicídio de João Carlos Fernandes Fausto, de 26 anos, foi desvendado pela Polícia Civil de Jaguaruna. O crime foi registrado no dia 27 de fevereiro deste ano e a vítima foi encontrada morta em casa. O suposto autor prestou depoimento e teria confessado o crime ontem, na delegacia do município.
Com as investigações, as suspeitas da autoria recaíram sobre o ex-companheiro da mulher que vivia com a vítima na época do crime. João Carlos e o acusado estavam em conflito. Entre os desentendimentos estaria a dificuldade encontrada pelo suposto autor em visitar a sua filha, que morava com a mãe e o padrasto.
Durante a apuração, os policiais descobriram que os dois já haviam se envolvido em brigas, inclusive com disparo de arma de fogo. Pouco antes do homicídio, João Carlos teria confidenciado à mulher que estava temeroso quanto ao seu futuro e revelou que havia sido ameaçado de morte pelo acusado.
Ontem, o suposto autor foi prestar depoimento na delegacia e acabou admitindo a autoria do crime. Ele revelou que foi até a casa de João Carlos e arrombou a porta, já que a vítima não quis abri-la, dando início a uma briga. Depois de matá-lo com uma faca, o agressor jogou a arma no rio e queimou as roupas sujas de sangue.
João Carlos só foi encontrado morto pouco depois pela própria mulher, que estava trabalhando no momento da briga. A vítima foi degolada e tinha uma perfuração no peito. As investigações foram coordenadas pelo delegado João Fleury Castilho.

Diário do Sul