Continua internado no Hospital Nossa senhora da Conceição de Tubarão o jovem de 21 anos acusado de ter matado a mãe e a irmã a facadas. O crime aconteceu na casa da família, no bairro São Martinho, em Tubarão na tarde desta quinta-feira (17). Conforme a polícia, o rapaz estaria em surto psicótico quando efetuou os ataques.

Simone Melo da Silva, de 42 anos, e Maria Eduarda Teixeira, de 13, mãe e filha, foram socorridas com vida, mas não resistiram aos ferimento e faleceram. De acordo com o Corpo de Bombeiros, a guarnição foi acionada pouco antes das 14h, depois de pedido de socorro que dizia que uma jovem havia sido ferida por arma branca.

Ao chegar ao local, a guarnição encontrou a menina próximo a um salão de beleza, onde a mãe trabalharia, para onde teria corrido e pedido por socorro. Ela apresentava pelo menos cinco facadas na altura do tórax. Ela foi estabilizada e, em seguida, transferida para a viatura do Samu, sendo levada para o Hospital Nossa Senhora da Conceição (HNSC). Porém, não resistiu e morreu.

Logo após o atendimento, os bombeiros foram comunicados que a mãe da menina também havia sido esfaqueada. Outra viatura foi deslocada e, ao chegar na residência da família, os socorristas encontraram a mãe ferida, com pulso fraco, e já em parada cardiorrespiratória. Ela morreu a caminho do hospital.

Enquanto os bombeiros realizavam o atendimento às vítimas, a Polícia Militar (PM) passou a iniciar buscas pelo acusado, sendo ele encontrado ainda em surto, conforme relato da PM, trazido pela reportagem do DS em informações publicadas no site do Diário do Sul momentos após a confirmação das mortes.

Polícia Militar encontrou acusado de mortes seminu

Minutos após o crime, a PM encontrou o jovem debaixo de um caminhão, nas proximidades. “Ele estava seminu e falando coisas sem sentido. Também estava sujo de sangue, o que demonstrava ter sido ele o agente que cometeu as agressões. A guarnição deu voz de prisão, mas foi preciso uso de força para contê-lo e colocá-lo na viatura”, informa o capitão Josias Machado da PM de Tubarão.

Ainda conforme o capitão, dentro da viatura, o jovem passou a falar coisas desconexas e se debater. “Precisamos levá-lo ao hospital, onde ele foi sedado”, fala o policial. Ainda segundo a PM, o jovem estaria em surto psicótico e, recentemente, teria estado internado em Laguna para tratamento psiquiátrico. Além disso, após liberação do hospital, ele se recusava a tomar os remédios prescritos no tratamento psicológico.

Atestado para medicamento estava na casa

Em investigação preliminar até o fechamento desta edição, a delegada Jucinês Dilcinéia Ferreira, da Delegacia de Proteção à Criança, Adolescente, Mulher e Idoso (Dpcami) de Tubarão, destaca que na casa da família foi encontrado um atestado médico em nome do jovem, o que demonstra que ele deveria fazer uso de um medicamento para tratamento de psicose. Ainda até o fechamento desta edição, o jovem seguia sedado e em atendimento no Hospital Nossa Senhora da Conceição (HNSC), em Tubarão, onde deverá permanecer até hoje. “Foi lavrado o auto de prisão em flagrante. Vamos seguir com as investigações”, diz a delegada.

Jucinês esclarece que, ainda segundo testemunhas, o jovem seria usuário de drogas e cobrava a mãe para que lhe desse dinheiro para comprar entorpecentes. “Ele também teria passado a se negar a tomar os remédios e estaria exaltado ao descobrir que a mãe lhe dava os medicamentos escondidos”, diz a delegada.

Informações/Diário do Sul