Os hemocentros de Santa Catarina necessitam de doadores que possuem o tipo sanguíneo O negativo. Houve uma baixa na captação nas últimas semanas e os hemocentros precisam da solidariedade da população.

Conforme a assistente social do Hemosc de Criciúma, Simone Nandi, o sangue O negativo é universal e por isso é importante não deixá-lo limitado nas instituições.

Não é apenas Criciúma que precisa deste tipo de sangue, mas todas as regiões do Estado. Para que a situação não se torne crítica, necessitamos muito da ajuda da população”, enfatiza. Simone lembra que a doação dura em torno de 40 minutos. “É um processo rápido, fácil e não dói”, pontua. Durante a doação são captados 450 mililitros de sangue, sendo que uma bolsa pode salvar até três vidas.

O Hemosc de Criciúma atende toda a região Sul catarinense. Ao todo, são 28 hospitais e clínicas, desde Imbituba até Passo de Torres. Para fazer a doação, o voluntário deve comparecer ao Hemosc com um documento com foto, estar bem de saúde, bem alimentado, pesar mais do que 50 quilos e ter entre 16 e 67 anos. Dos 60 aos 67 anos o doador deve ter feito pelo menos uma doação durante a vida. Dos 16 aos 17 anos ele deve ir acompanhado de um responsável.

Horário de funcionamento

O hemocentro de Criciúma é aberto de segunda-feira a sexta-feira, das 7h30min às 18h30min. O Hemosc de Criciúma está localizado na Avenida Centenário, no bairro Santa Bárbara. O telefone para contato é (48) 3433-6611.