Os cinco filhos de uma mulher que morreu após ser atropelado por um motociclista receberão – cada um – R$ 15 mil, a título de danos morais, em decisão prolatada nesta semana pelo juiz Paulo da Silva Filho, titular da Vara da Fazenda Pública, Execução Fiscal, Acidentes de Trabalho e Registros Públicos da comarca de Tubarão. O homem que conduzia a moto é que ficará encarregado de bancar os R$ 75 mil que perfazem o montante indenizatório.

A ação também foi proposta contra o município de Tubarão, sob a alegação de que a faixa de pedestres estava mal sinalizada (apagada). Porém, a sentença afastou o dever de indenizar da administração municipal, por força do reconhecimento da culpa exclusiva de terceiro, o condutor da moto, uma das causas excludentes do nexo de causalidade.

Segundo os autos, o acidente aconteceu em setembro de 2019, na Avenida Pedro Zapelini, em Tubarão, quando a mulher foi atingida na faixa de pedestres pela moto conduzida pelo réu, que estava em alta velocidade. De acordo com a sentença, em análise de vídeo do acidente juntado ao processo, é possível ver que o réu trafegava em velocidade superior aos demais veículos que estavam na via. A velocidade e a clara desatenção do condutor da motocicleta, interpretou o julgador, não permitiram que esse parasse a tempo da pedestre terminar sua travessia na faixa de pedestres.

O réu foi condenado ao pagamento de R$ 75 mil, a título de danos morais – R$ 15 mil para cada um dos autores da ação -, acrescido de juros e correção monetária. Cabe recurso da decisão ao TJSC (Autos nº 5006013-55.2020.8.24.0075).​​