Créditos: Gabriel Felipe/RBSTV/DS
Créditos: Gabriel Felipe/RBSTV/DS

Preso na terça-feira acusado de crime ambiental, o empresário do ramo de engenharia civil e ex-vereador de Tubarão Amilton Lemos, de 56 anos, está em liberdade provisória por decisão judicial. Conforme matéria do Jornal Diário do Sul, o candidato a prefeito da Cidade Azul em 2004 alega que foi injustiçado e que tudo será esclarecido.

“Mais uma vez fui injustiçado. O delegado agiu com abuso de autoridade”, fala Amilton a respeito da prisão, citando o delegado responsável pela Delegacia de Crimes Ambientais de Tubarão, André Luís Mendes. O empresário foi preso após denúncias de moradores do bairro Fábio Silva sobre as atividades de extração de cinza que apresentavam problemas.

No entanto, no final da noite de terça-feira, Amilton foi posto em liberdade por decisão do juiz da 1ª vara criminal de Tubarão, Elleston Lissandro Canali. Conforme o advogado de defesa do empresário, mesmo sendo a prisão arbitrada como inafiançável pelo delegado, o juiz tem poder maior para decretar a soltura.

Após a soltura, Renato antecipa que os próximos passos a respeito do caso é que seja solicitado junto à Fatma o desembargo do local onde a empresa funciona. “Assim que a Fatma liberar o retorno dos trabalhos, sendo que a empresa já possui a licença para tal, todas as mudanças necessárias serão feitas”, informa o advogado.

Sobre as irregularidades denunciadas, Renato destaca que, sobre os materiais encontrados no local, como restos de itens usados em construção civil e outros, teriam sido depositados no terreno por terceiros. “Segundo o Amilton, esses resíduos teriam sido colocados no local à noite, por moradores”, fala Renato.

Sobre o posicionamento de Amilton a respeito da prisão, o delegado André Luís destaca que, se tivesse abusado de autoridade, o juiz não teria homologado a prisão em flagrante.