Foto:Silvana Lucas
Foto:Silvana Lucas

Depois de 20 anos as previsões apontam que Santa Catarina voltará a ter o clima influenciado pelo fenômeno El Ninõ de forte intensidade neste mês e próximos dois. Conforme matéria do Jornal Notisul, diante deste quadro será que Tubarão, que já registrou no século passado uma grande enchente está preparado para receber grandes quantidades de chuva?

“Nos últimos anos várias ações foram realizadas para minimizar o efeito de chuva intensa. Desde a limpeza do leito de vários rios, de valas, substituição de tubulações e implantações de obras de drenagens na região. Instalamos uma rede de monitoramento para medir o nível dos rios, a quantidade de chuva e parâmetros atmosféricos na cidade. Entretanto fazem-se necessárias outras obras para que se possa atender com maior eficiência a ocorrência de chuvas intensas”, informa o secretário de proteção e defesa civil da Cidade Azul, Rafael Marques.

O El Ninõ mais forte ocorridos de 1950 para a atualidade foram os de 1982, 1983, 1997 e 1998. Nessas datas Tubarão não apresentou problemas, que ocorreram em outras épocas, que inclusive tiveram decretação de situação de emergência. Não sendo necessariamente em tempos de El Ninõ que a região sofre danos anormais com as chuvas.

“Destaco que o maior evento extremo, no município foi em março de 1974, com a grande enchente. Naquele ano estávamos sob a influência oposta do El Ninõ, era a La Ninã que, teoricamente, chove menos. Desta vez a previsão indica maiores volumes principalmente para região oeste do estado”, lembra Rafael.

Plano de contingência
O secretário destaca que a cidade já tem um plano de contingência, que orienta ações distribuídas em vários setores da sociedade, como bombeiros, polícia, exército, secretarias e outras entidades. “Nas áreas de risco temos cadastrados os moradores que poderão ser acionados por telefone e também por meios de comunicação, como rádios, jornais, televisão e internet, que são vetores de disseminação de avisos”, destaca o secretário.