W3.CSS

Por intermédio de requerimento apresentado pela deputada federal Geovania de Sá, através da Comissão Externa sobre Obras Públicas Paralisadas e Inacabadas no País, o trecho catarinense da BR 285, que compreende a Serra da Rocinha, passou por uma visita técnica nesta segunda-feira, 14. Durante o ato, a equipe técnica do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) prestou esclarecimentos sobre o andamento das obras e apontou uma nova previsão de término dos trabalhos.

Conforme o superintendente do DNIT/SC, Alysson Rodrigo de Andrade fatores climáticos favoreceram a queda de barreiras, prejudicando o andamento de diversas obras no estado. “Faltam R$ 5 milhões para terminar a obra. Hoje, a BR 285 não vai ser mais uma promessa, mas uma realidade”, esclareceu ao assegurar que o novo prazo para a conclusão da obra é março de 2024.

Em contrapartida à estimativa de término, Geovania de Sá enfatizou a importância da obra para o desenvolvimento do Estado e fez a provocação para que a data da inauguração já fosse definida no encontro. “Quando trabalhamos com prazos as coisas fluem melhor. Que tal definirmos 30 de março o dia para a inauguração?”, disse a parlamentar ao destacar que irá levar a sugestão ao ministro José Renan Calheiros Filho. “Já vou propor isso na próxima reunião com o Ministério dos Transportes”, pontuou.

A visita foi solicitada pela parlamentar devido aos atrasos para a entrega da obra. Iniciada em 2016, o prazo final já teve diversas alterações. A primeira data de conclusão estava prevista para 2020. Desde então, outros prazos foram estipulados, mas a obra ainda não foi concluída. 2023 havia sido o último prazo apontado pelo Ministério dos Transportes, em reunião com o Fórum Parlamentar Catarinense, em março deste ano.

De acordo com o detalhamento do Dnit, do total de 22 km de extensão a serem construídos, 100% dos 9 km de pavimentação flexível já foram concluídos. O desafio consiste nos 13 km de pavimento rígido que atualmente se encontra com 92% de execução, restando apenas 1 km a ser finalizado. A demora se dá devido a complexidades dos seis pontos em andamento. “O nosso desafio está nas obras de artes especiais e nas contenções que ainda precisamos vencer para ganhar plataforma e fechar os 13 km”, esclareceu o superintendente.

O pacote de obras de artes especiais inclui a construção de duas pontes, quatro viadutos, o Posto de Polícia Rodoviária Federal e as contenções de encostas.

O esclarecimento apresentado pelo Dnit ocorreu durante a reunião que antecedeu a visita, realizada na Câmara de Vereadores de Timbé do Sul. O prefeito Roberto Biava, o Betinho, agradeceu a expressiva presença de autoridades no ato e salientou a importância da obra para o desenvolvimento da região Sul de Santa Catarina.

“Sou muito grato à deputada pela luta e ao Alysson pelos esclarecimentos. Agora ficamos na expectativa da conclusão desta obra. Ela é um divisor de águas, estamos há 70 anos na espera, não só Timbé, mas os demais municípios do Sul, principalmente para o aspecto do desenvolvimento econômico e turístico do estado”, destacou o prefeito de Timbé do Sul.

Após o ato na Casa Legislativa, as autoridades presentes e a imprensa percorreram o trecho para vistoriar o andamento dos trabalhos. Mais de uma centena de autoridades participaram do encontro. Integrando o grupo estiveram os deputados estaduais Tiago Zilli e José Milton Scheffer, o secretário de Estado do Meio Ambiente e da Economia Verde, Ricardo Guidi, o coordenador regional de infraestrutura Sul da Secretaria de Estado de Infraestrutura e Mobilidade, Ademir José Honorato – representando o Governador, Jorginho Mello, o vice-presidente da Regional Sul da Federação das Associações Empresariais de Santa Catarina (Facisc), Pedro Kuzniecow – representando o presidente da entidade, Sérgio Rodrigues Alves, e o secretário adjunto da Secretaria de Portos e Aeroportos e Ferrovias de Santa Catarina, Robison Coelho.

O evento também contou com a expressiva presença de vereadores, prefeitos e entidades ligadas ao comércio, indústria e turismo da região Sul de Santa Catarina.

Texto: Daiana Carvalho – assessoria deputada federal Geovania de Sá

Foto aérea: Bruno Mizeeski Boava