Foto: Gabriel Felipe/RBS TV/Divulgação
Foto: Gabriel Felipe/RBS TV/Divulgação

Uma praça, em Treze de Maio, com mais de 50 anos, teve várias árvores podadas. A Delegacia de Crimes Ambientais de Tubarão investiga o serviço de corte na praça, que deixou o local destruído. De acordo com matéria divulgada pelo site do jornal Notisul, o prefeito Clesio Bardini de Biasi afirma que o trabalho foi feito com autorização da Defesa Civil e Fundação de Meio Ambiente (Fatma).

“O problema é que algumas árvores foram cortadas a mais. Porém era necessário. As árvores grandes dificultavam a acessibilidade. Já existe um projeto para revitalizar o local e fazer o plantio com árvores nativas”, explica Clesio. No projeto há rampas e um piso dentro das normas de acessibilidade, além de nova iluminação e paisagismo. “Do jeito que estava dificultava o projeto que contemplará um local mais acessível, principalmente devido ao grande número de degraus. Afora poderemos colocar rampas de acesso”, acrescenta o prefeito.

O delegado André Silveira esteve no local para verificar a situação. Um inquérito foi instaurado para saber o porquê da poda.

Depois do serviço, restaram na praça troncos e galhos no chão, além de diversas partes com terra à mostra. A polícia vai enviar as informações do inquérito para a Fatma e para o Ministério Público de Santa Catarina.

A investigação vai apurar uma possível fraude na autorização dos cortes. A polícia ainda avalia as responsabilidades da empresa que foi contratada para fazer o serviço. “Além disso, no estudo não foi feito levantamento com relação à fauna e outras espécies que estavam também na praça, como ninhos de pássaros e bromélias. Nós constatamos que estavam todas amassadas, destruídas em virtude dos cortes”, afirmou o delegado.