O espírito de luta e tenacidade na busca de seus objetivos resultou em assembleia geral realizada no dia 14 de dezembro de 1971 que de forma tênue acendeu a luz do ideal cooperativista em nosso município.

Inicialmente denominada CERLAM – Cooperativa de Eletrificação Rural de Lauro Muller de responsabilidade Ltda, passou no ano de 1982 a chamar-se Cooperativa Mista Lauro Muller com a diversificação de atividades e atendendo a determinação legal em 2008 finalmente COOPERMILA – Cooperativa de Eletricidade Lauro Muller.

O entendimento de que a necessidade era comum e que conjuntamente poderia se obter exito em tarefas difíceis consolidou o início da Coopermila.

A união de esforços era evidente e resultou no ano de 1974 na implantação da subestação abaixadora de 500 kW instalada no distrito de Guatá com redes de distribuição de energia elétrica implantadas nas localidades de Novo horizonte e Rocinha.
O início do sonho se realizando…

Importante em nossa história, 50 anos de fundação da Coopermila…

A menor cooperativa de infraestrutura na distribuição de energia elétrica mantém a atuação no segmento de distribuição e comercialização de energia aproveitando seu acervo de conhecimentos técnicos e gerenciais acumulados nestes 50 anos de existência.

Nossos mais de 1000 associados que expressam os consumidores integram as classes de consumo: residencial, rural, industrial, comercial, poderes públicos e serviços públicos sendo atendidos com qualidade e tarifas módicas modestas.

O tempo passou, mas nos marca com lembranças que vem a nossa memória neste importante data como as Administrações que aqui passaram … Romano Baldin, Rodolpho de Brida, Amilto da Silva Guimarães, Evanio Baldin e todos seus companheiros de diretoria que prestaram sua colaboração a nossa história.

Rodolpho de Brida representou a comunidade de Rocinha participando da construção de redes de distribuição de energia em todas as localidades. Fez parte do Conselho de Administração como vice-presidente formando par com Romano Baldin, até o início do ano de 1977, quando assumiu a presidência da Cooperativa mantendo-se no cargo até março do ano de 1991.

Rodolpho de Brida marcou suas gestões com o incansável espírito empreendedor buscando incessantemente o objetivo do cooperativismo de eletrificação em nosso município que era a universalização do atendimento a todos os associados.

A sonhada regulamentação da cooperativa como agente do setor elétrico foi uma busca incessante coroada de êxito

O orgulho do serviço universalizado em nossa área de permissão nos garante a afirmar que todas as localidades rurais estão 100% atendidas.

No final de 2008 enfim a assinatura do Contrato de Permissão nº 17 firmado com a ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica) que representa o monopólio do governo federal.

Neste momento, entendo que as administrações deverão lembrar nossos pioneiros cooperativistas que não mediram esforços pessoais e nos grupos para na oportunidade viabilizar a satisfação da necessidade que outrora antigamente era a implantação de redes de distribuição rural buscando coletivamente melhores condições de vida.

Não tenho dúvidas de que a tarefa continua árdua, mas como atual presidente caminharei compromissado com o progresso e desenvolvimento visto as dificuldades necessárias ao êxito da viabilização de uma gestão moderna competitiva e principalmente cooperativista.

Porém me sinto me confortado por entender que meus esforços e de meus pares na diretoria tem alcançado êxito na luta por melhores condições de vida a nossos associados facilitando-lhes uma boa integração social.

 

Meio século de luta

Este ano comemoramos os 50 anos da Coopermila fundada no dia 14 de dezembro de 1971.

Impossível não relembrar que nossa origem se sustentou na necessidade do agricultor de nosso município que confrontava com condições de vida muito difícil dada a realidade de falta de energia elétrica em suas residências.

Estes irmanados em um único proposito praticaram o cooperativismo que resulta na obtenção de êxito em objetivos comuns que era a satisfação conjunta de seus anseios.

Claro que as dificuldades foram significativas, porém estas não foram suficientes para dirimi-los de seus propósitos resultando na instalação de energia elétrica no ano de 1.974 nas localidades de Novo Horizonte e Rocinha.

Romano Baldin, Rodolpho de Brida, Amilto da Silva Guimarães e Evanio Baldin que me antecederam com seus pares nas diretorias ao longo destes anos não mediram esforços para que esta história seja um marco de sucesso e realizações.

A mim Alcimar Damiani de Brida que honradamente presido o conselho de administração da Coopermila desde o ano de 2006 cabe agradecer todos os abnegados associados que em maior ou menor intensidade prestaram sua colaboração para escrevermos esta história de sucesso.

Tenho convicção da responsabilidade de bem gerir nossa cooperativa e certamente os que no sucederem também o farão de forma criteriosa para que se consiga levar progresso e desenvolvimento a nosso quadro social.

O legado de trabalho apresentado por nossos fundadores continua.

1971

A distribuição de energia elétrica do município de Lauro Müller era realizada pela CIA Nacional de Mineração do Barro Branco detetora da concessão de distribuição.

A precariedade do atendimento era constatada na área urbana o que vislumbrava um cenário desfavorável à ampliação do sistema de distribuição de redes para atender consumidores rurais.

Em 14/12/1971- Reúnem-se agricultores de diversas localidades do município e deliberam pela fundação da Cooperativa de Eletrificação Rural de Lauro Müller Ltda – CERLAM.

 1972

A fundação CERLAM necessitava de atitudes administrativas o que resultou em uma assembleia geral extraordinária realizada no dia 12/08/1972 que aprovou o estatuto social e elegeu a diretoria para o triênio 1972 a 1975.

Os anseios dos cooperados começam a se realizar com a construção das redes de distribuição nas localidades de Novo Horizonte e Rocinha. O projeto foi executado com a participação do governo estadual através da ERUSC – Eletrificação Rural de Santa Catarina S/A que forneceu os materiais e projeto do empreendimento participando a Coopermila com o transporte destes materiais e a mão de obra prestada em mutirão pelos associados.

Uma nova realidade a CERLAM passa a receber além das quotas partes, consumo de energia dos associados contemplados com o serviço de distribuição.

1977

A administração não se acomodou e buscou nos anos de 1975, 1976 e 1977, novos auxílios junto a ERUSC para execução de outros empreendimentos resultando na construção das redes de distribuição à atender as localidades de Lageado, Vargem Grande, Rio Capivaras Alto, Rio Amaral, Rio Amaral Gruta, Santa Rosa e Rio Queimado.

O sistema utilizado na construção destas redes foi o mesmo dos executados em 1974, ou seja, participação do governo e do associado.

Rodolpho de Brida representou a comunidade de Rocinha participando da construção de redes de distribuição de energia em todas as localidades. Fez parte do Conselho de Administração como vice-presidente formando par com Romano Baldin, até o início do ano de 1977, quando assumiu a presidência da Cooperativa mantendo-se no cargo até março do ano de 1991.

1980

Os associados das comunidades de Palermo e Rio Amaral II são beneficiados com a implantação de redes de distribuição melhorando desta forma a arrecadação da Cooperativa possibilitando melhores condições de atendimento.

1982

O sonho da construção da sede própria se realiza com a área construída de 150 m² à Rua vinte de janeiro, bairro Alto Sumaré executada com recursos próprios e condizentes com a necessidade da sociedade.

Também iniciou a modernização do atendimento com a aquisição de um caminhão FORD – 11.000 acoplado com guindaste munch o que facilitaria a manutenção e implantação de novas redes.

1984

As comunidades de Morro da Palha e Palermo ampliação tem suas residências energizadas ficando o município com mais de 85% da área rural eletrificada.

1985

A Cooperativa de Eletrificação Rural de Lauro Müller Ltda – CERLAM em assembleia geral extraordinária realizada em 30/11/1985, diversifica suas atividades passando a atuar como Cooperativa Mista com a denominação social de Cooperativa Mista Lauro Müller Ltda – Coopermila.

As atividades desenvolvidas autorizadas em assembleia são: Distribuição de energia elétrica, beneficiamento e comercialização de produtos agrícolas e comercio de insumos e equipamentos destinados à produção rural.

1986

A Coopermila universaliza o serviço de distribuição de energia elétrica em sua área de atuação com a extensão do benefício as comunidades de Rio da Vaca, Morro Preto, Rio do Rastro e Rio Apertado.

O desafio proposto a Coopermila é viabilizar o crescimento vegetativo do sistema elétrico de sua responsabilidade.

2000

As crises resultantes da diminuição do consumo da classe industrial determinam a Cooperativa a fazer revisão em seu planejamento buscando minimizar as intempéries de ordem econômica e financeira.

A aquisição de religadores para utilização no sistema de distribuição para melhoram a qualidade dos serviços.

Coopermila se integra na luta pela regulamentação como permissionária de serviço público de distribuição de energia elétrica junto a ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica).

 2002

A administração visando a possibilidade de expansão do setor de vendas de insumos e equipamentos adquire um lote urbano a Rua Valdir Cotrin para futura instalação de setor de atendimento.

2003

ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica), através de resolução normativa define os critérios para fixação das tarifas iniciais de suprimento e fornecimento à cooperativas permissionárias.

O processo de regulamentação junto a ANEEL dá um passo importante com a assinatura de contrato com a Celesc definindo as áreas de atuação da permissão de distribuição de energia elétrica.

2005

O processo de regulamentação junto a ANEEL dá um passo importante com a assinatura de contrato com a Celesc definindo as áreas de atuação da permissão de distribuição de energia elétrica.

2006

Em 2006, o programa de recuperação das redes de distribuição é implantado, tendo como prioridade a reconstrução dos alimentadores (linha tronco) com deslocamento para as margens das estradas, visto que os sistemas de distribuição da COOPERMILA foram construídos há mais de 30 (trinta) anos.

Também neste ano, foi realizada a readequação da sede social às disposições legais contidas nas resoluções da ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica), de forma a atender condizentemente a associados e consumidores. Foi registrado, ainda, o início da construção do almoxarifado de manutenção e obras, bem como área a ser utilizada como garagem a veículos.

Em adesão ao processo de regulamentação na forma autorizada pelos associados em assembleia, foram realizados investimentos na implantação de sistema de processamento de dados.

2007

A reforma estatutária elaborada por comissão definida pela assembleia geral trouxe benefícios sociais. Entre eles, a implantação de atendimento social conveniado para serviços médicos odontológicos e exames ambulatoriais. Este ano ficou marcada também pela assembleia participativa de associados com familiares, registrando o comparecimento de mais de 1.000 (mil) pessoas ao evento.

Em dezembro de 2007, foram concluídas as obras do novo galpão do almoxarifado e garagem da COOPERMILA. Com 405 m² (quatrocentos e cinco metros quadrado), as instalações garantindo mais segurança e durabilidade à frota, além de melhorar a organização e distribuição dos itens de estoque e manutenção geral. Além disso, proporcionou agilidade aos serviços, através do aumento da capacidade de estoque.

2008

Um ano marcado por grandes conquistas: ampliação do convênio assistencial (criação de atendimento médico e odontológico), intensificação da melhoria em redes de distribuição, início da aplicação das novas tarifas aos associados a partir do faturamento de maio de 2008 (dois mil oito) cuja redução alcançou 48,42% (quarenta e oito vírgula quarenta dois por cento) menores que as anteriores resultantes da assinatura junto ao poder concedente (ANEEL) do contrato de permissão para distribuição de energia elétrica.

2009

Marcado pelo registro da implantação da emissão de fatura de energia instantânea. Desde então, o responsável pela leitura dos medidores coleta os dados e emite na hora a nota fiscal. A satisfação do associado ao receber a fatura no momento da coleta de dados demonstra o sucesso desta inovação. A COOPERMILA foi a primeira cooperativa a disponibilizar este serviço aos associados.

Também foram concluídas as reformas emergentes das redes de distribuição, adequando às condições de segurança e de qualidade no fornecimento. Além disso, foi dado início à manutenção preventiva das redes de distribuição, minimizando desligamentos e interrupções no fornecimento.

A área de atuação totalmente eletrificada, juntamente com a reforma dos alimentadores e redes secundarias, expressou a conquista da grande meta a ser cumprida. O deslocamento da maioria das redes de distribuição para os limites das vias públicas facilitou o acesso quando necessário às manutenções.

Durante o ano com a visão de qualificação e desenvolvimento, foram implantados os cursos do “Projeto Viver e Aprender Cooperando”, desenvolvido em parceria com o Sescoop. Todos os cursos foram disponibilizados aos participantes, sendo estes: eletricidade industrial, eletricidade predial e residencial, informática básica e informática avançada, possibilitando a capacitação profissional de associados seus dependentes e munícipes.

2010

Ocorreu o início da ampliação da sede social com design moderno e acomodações mais amplas que dá orgulho ao associado, sendo de fundamental importância para o município, visto que o auditório é amplo e completamente equipado, e sempre é utilizado pelos diversos seguimentos de nossa sociedade quando da realização de reuniões e eventos.

Alcimar Damiani De Brida recebeu, em 2010 a Certificação de Autogestão do Cooperativismo Catarinense (CACC), obtida junto à Organização das Cooperativas do Estado de Santa Catarina (OCESC). A certificação é o reconhecimento dos esforços na melhoria da qualidade na aplicação dos princípios cooperativistas.

As limpezas do leito das redes de distribuição, realizadas de abril a setembro de 2010, garantiram a qualidade do fornecimento de energia elétrica. A poda de árvores e roçada da vegetação proporciona segurança e facilidade de acesso de pessoas e veículos na execução dos serviços de manutenção e ampliação do sistema elétrico de distribuição.

As atividades implantadas no setor de serviços começam a apresentar resultados minimizando as ocorrências originadas de fenômenos metrológicos, como ventos, fortes chuvas e até descargas atmosféricas.

2011

A COOPERMILA registra 40 anos de trabalho e sucesso inaugurando as novas instalações, incluindo o auditório que honrosamente leva o nome de um dos ícones do progresso e desenvolvimento da história da cooperativa: “Rodolpho de Brida”. A sede, que foi remodelada para servir a comunidade e garantir o bem-estar dos associados, teve a área ampliada em mais 280 m² (duzentos oitenta metros quadrado), concluída com uma área total de 650 m² (seiscentos cinquenta metros quadrado). A obra que foi iniciada em junho de 2010 (dois mil e dez) teve sua conclusão em novembro de 2011 (dois mil e onze), com investimentos de mais de R$ 285.000,00 (duzentos oitenta cinco mil reais).

A COOPERMILA recepcionou o XIV Encontro Comitês de Regulamentação do Sistema Fecoerusc, com a presença de integrantes de 15 (quinze) cooperativas filiadas à Federação das Cooperativas de Energia do Estado de Santa Catarina (FECOERUSC). O objetivo dos encontros foi o estudo em grupos das várias regras solicitadas pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) em nível de regulamentação das cooperativas.

2012

O crescimento de mercado resultante do desenvolvimento de novas tecnologias determinou a necessidade de aquisição de equipamentos para dar sustentabilidade a qualidade do fornecimento.

Uma das aquisições mais importante foi a de 01 (um) equipamento religador, instalado na tomada de energia “Rocinha”, permitindo o reestabelecimento de energia de forma mais rápida e minimizando distúrbios ao sistema de distribuição.

2013

Novamente a necessidade de melhorias norteou a administração que não mediu esforços para adquirir novo religador, efetuando assim a instalação do segundo religador.

A crescente demanda de energia a Coopermila determinou a necessidade de dividir os alimentadores e a instalação do segundo religador na tomada de energia “Morro da Palha” separando os circuitos em dois pontos distintos o que permitiu a retirada um longo trecho de redes de distribuição de locais de difícil acesso, facilitando a manutenção e restabelecimento das faltas de energia. Uma consequência foi a melhoria da qualidade de energia para os associados com unidades de consumo que antes se encontravam no final da rede.

Os associados em assembleia geral ordinária avaliaram o relatório da administração referente ao exercício de 2012 com aprovação unânime. O conselho de administração, que encerrou seu mandato, prestou contas através dos números que confirmam o desenvolvimento social e econômico da cooperativa. Na ocasião, também foi aprovado o plano de investimentos para o exercício de 2013 e a aplicação dos recursos do Fundo de Assistência Técnica Educacional e Social (FATES). Já na votação para escolha do novo Conselho de Administração, Conselho Fiscal e delegados representantes junto à Fecoerusc, o processo de escolha contou com duas chapas inscritas, resultando na vitória da Chapa 1, presidida por Alcimar Damiani de Brida, sendo reeleito com 75% (setenta cinco por cento) dos votos.

 2014

O ano foi marcado por grande desafio a gestão que teve que administrar os constantes atrasos nos pagamentos das subvenções federais gestionadas pela ANEEL.

O equilíbrio das contas foi a grande conquista visto que apesar de todos os entraves a administração não recorreu a realizar contratos de financiamento com agentes financeiros.

O registro de perdas no exercício foi resultante da redução de mercado e revisão tarifária, porém apesar deste evento os associados consumidores não foram penalizados com rateio destas.

Não obstante as dificuldades foi realizado a renovação da frota para evitar aumento de custos operacionais e comprometimento do atendimento.

2015

A melhoria de rede na localidade de Rocinha e Primeiro Guatá juntamente com a reforma da rede do Rio Amaral II foram as principais atividades registradas no ano.

Também as aquisições de estações transformadoras de distribuição que foram implantados em pontos críticos da distribuição marcaram o ganho na qualidade.

2016

Efetuado recondutoramento da rede tronco da tomada de energia “Rocinha” até a maior carga daquele alimentador que é unidade de consumo de titularidade da Carbonífera Catarinense, garantindo uma energia com mais qualidade e evitando possíveis oscilações de corrente no sistema.

O estatuto social foi objeto de nova reforma realizada pelos associados que em maioria superior a dois terços dos presentes, aprovaram itens de relevante importância estando entre estes possibilidade de reeleição sucessiva do cargo à presidência.

Implantou-se o sistema de reuniões que foram realizadas em todas as comunidades incluindo se nestas o processo de escolha de membros para compor a diretoria incluindo a consulta do interesse dos associados de que o presidente atual devesse ou não concorrer à eleição.

A aceitação do quadro social foi manifestada de forma conclusiva, resultando em chapa única a concorrer à última eleição, que encerrará o mandato em março de 2021.

2017

A ampliação das redes de alta tensão nas localidades de Lageado, Palermo, Rio da Vaca e Rio Capivaras Alto foi a principal meta do ano.

Também a transformação de circuitos monofásicos em trifásicos deu sustentabilidade ao crescimento vegetativo possibilitando aos associados significativa melhora em seus investimentos.

 2018

Novamente o crescimento determinou a necessidade da instalação de um banco regulador de tensão no religador do bairro Arizona. O investimento garante a regulação da tensão e a qualidade do fornecimento de energia elétrica. As quedas de tensão que ocorrem em função da extensão das redes de distribuição localizadas distantes da subestação. A instalação do regulador garante que, a partir do ponto em que o equipamento foi instalado, o fornecimento de energia volte ao padrão de qualidade fornecido pela cooperativa.

2019

A COOPERMILA registrou um significativo investimento na melhoria de redes em geral principalmente na rede que vai desde a tomada de energia do bairro Arizona até a localidade de Vargem Grande onde foram instalados 9,5 (nove virgula cinco) quilômetros de cabos 1/0 CA AWG. As ações incluíram também a instalação e troca de postes. Toda a extensão da rede foi alocada próximo da via pública.

A reforma trouxe maior confiabilidade e qualidade no fornecimento de energia elétrica, beneficiando os consumidores e possibilitando o desenvolvimento da região. Registra-se um sincero agradecimento especial as cooperativas coirmãs CERGAPA e CERGRAL, que na mediram esforços no auxílio na substituição dos cabos, permitindo a execução de todo o recondutoramento com apenas 4 (quatro) desligamentos mostrando que o espírito do cooperativismo em sua essência sempre beneficia a coletividade.

A sede social, considerada a casa do associado, também recebeu especial tratamento, com uma reforma geral. Entre as mudanças no auditório, está a construção de uma nova saída para situações emergenciais, de forma a possibilitar o uso com a segurança determinada nas normas fixadas pelo Corpo de Bombeiros.

Devido à manutenção preventiva que integra o plano de gestão, a qualidade dos serviços prestado tem melhorado ano após ano, mesmo apesar das intempéries naturais.

2020

A extensão de redes implantadas em nossa área de atuação da COOPERMILA é de 213 (duzentos treze) quilômetros, com uma capacidade instalada de 11,25 (onze virgula vinte cinco) megawatts com mais de um mil unidades consumidoras que são atendidos por apenas 10 (dez) colaboradores que integram o quadro funcional, com central de atendimento 24 (vinte quatro) horas. O número de associados é de 1.085 (hum mil oitenta cinco), sendo 75% (setenta cinco por cento) das unidades consumidoras do total atendido são de propriedades rurais e agroindústrias rurais.

Os investimentos em sua totalidade ao longo dos anos:

Investimentos       Valores em R$

2006 376.000,00

2007 209.000,00

2008 265.000,00

2009 317.000,00

2010 364.000,00

2011 367.000,00

2012 500.000,00

2013 437.000,00

2014 293.000,00

2015 349.000,00

2016 429.000,00

2017 424.000,00

2018 567.000,00

2019 703.000,00

2020 865.420,00

Total 6.465.420,00

As obras executadas são suficientes para dar sustentabilidade aos recursos dispendidos ao longo do período apresentados na tabela acima.

Registra-se que ainda temos muita necessidade de ampliar investimentos, pois a constância desta prática será sempre a garantia da continuidade da qualidade.

 Conclusão

O benefício da redução das tarifas promoveu o desenvolvimento e a melhoria da qualidade de vida do homem do campo, viabilizando investimentos nas propriedades.

A área de atuação totalmente eletrificada, juntamente com a reforma dos alimentadores e redes secundarias, determinou grande meta a ser cumprida. Trata-se do deslocamento de todas as redes de distribuição para os limites das vias públicas, de forma a facilitar o acesso quando necessário as manutenções.

A ampliação da sede social foi uma obra que dá orgulho ao associado, sendo de fundamental importância para o município, visto que o auditório é amplo e completamente equipado, sendo utilizado pelos diversos seguimentos da sociedade, em reuniões e eventos.

A renovação constante da frota demanda investimentos o que sempre foi priorizado pela administração pois é de firme consciência que esta prática garante agilidade no atendimento as demandas funcionais.

A continuidade aliada ao comprometimento será o grande diferencial para que a COOPERMILA continue sua árdua tarefa de satisfazer com responsabilidade os anseios da coletividade que integra nosso quadro social.

EX- PRESIDENTES:

ROMANO BALDIN – 14/12/1971 à 20/01/1977

RODOLPHO DE BRIDA – 21/01/1977 à 23/03/1991

AMILTO DA SILVA GUIMARÃES – 24/03/1991 à 26/03/1994

EVANIO BALDIN – 27/03/1994 à 05/02/2006

Resumo em 01/12/2.021:

Quantidade de associados: 1.099

Total unidades consumidoras: 1.301 unidades

  • Baixa tensão:1.297 unidades de consumo.
  • Alta tensão: 4 unidades de consumo.

ATA DA ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA de 14/01/1971

Participação de 73 associados, ata que após de lida foi assinada pelo secretário e pelos Senhores:

– Delson Zanin – Secretário

– Lauro Coan

– Adelino Giocondo Crozeta

– Bento José Correa

– Adauto Nunes

– Emilio Nezi

– Primo Citadin

– Narciso Maccari

– Ezio Francisco Lorenzi

– Rodolpho De Brida

– Orlandino Mazon

– Romano Baldin