O Comitê da Bacia do Rio Urussanga realizou a primeira Assembleia Geral de 2022 esta semana. O encontro tratou do funcionamento atual do Comitê e de como deve acontecer o novo modelo de gestão via Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina (Fapesc), proposto pelo Estado de Santa Catarina. A reunião foi realizada por videoconferência, ainda respeitando os protocolos contra covid-19.

O presidente do Comitê da Bacia do Rio Urussanga, Fernando Damiam Preve Filho, que avaliou a boa participação dos membros do comitê e que é importante mantê-los informados sobre os trabalhos. “Tratamos sobre questões administrativas. Mas importante a participação de todos, para saber o que vem acontecendo e para que possam propor novas ações”, comentou o presidente.

A reunião fez uma prestação de contas dos trabalhos que o comitê vem desempenhando em parceria com o comitê da Bacia do Rio Araranguá, pelo termo de fomento do Estado junto a Aguar, entidade que atualmente administra os recursos disponibilizados pelo Estado.

Depois, o representante da Secretaria de Meio Ambiente (Sema) e do Estado de Santa Catarina, Vinícius Constante, informou que já existe uma movimentação para que a Fapesc abra um edital de chamamento via instituições de ensino superior para fomentar o funcionamento desses recursos. “O modelo e as documentações estão prontos”, garantiu.

Segurança hídrica junto às indústrias

Os membros do comitê ainda foram convidados a participar da quinta capacitação com o tema “Eficiência do uso de recursos hídricos no setor industrial”, que aconteceu no dia 16 de março em parceria com a Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc).

O presidente, Fernando Previ, chama atenção dos membros do Comitê da Bacia do Rio Urussanga, sobre a responsabilidade de participação que cada membro tem em ocupar uma cadeira no comitê. “É preciso ter clareza da responsabilidade enquanto membro. Mudanças estão em andamento e é preciso levar essas informações aos seus pares e propor ações que possam contribuir com a gestão desse bem tão precioso, que é a água”, sublinhou.