SAMSUNG CSC
SAMSUNG CSC

O Hospital Unimed Criciúma preparou nesta sexta-feira, 9, um dia especial para a Campanha Outubro Rosa. Com o objetivo de alertar sobre os perigos do câncer de mama, durante todo o dia a instituição promoveu ações que foram desde a orientação para os colaboradores para a realização do autoexame de mama até uma programação diferenciada para as pacientes da quimioterapia.

“Nosso principal objetivo é de conscientizar nossos colaboradores que a prevenção é sempre a melhor opção. Atualmente temos uma incidência muito grande de casos de câncer de mama. Somente no Hospital Unimed de Criciúma, 90% dos pacientes que fazem quimioterapia são devido ao câncer de mama. E estatisticamente é o que mais mata. Por isso a importância desse trabalho de prevenção. Quanto mais precocemente a doença for detectada, mais o tratamento tem chances de dar certo”, garante a enfermeira obstetra Patrícia Dias Gualtieri.

Já na primeira hora da manhã, as colaboradoras receberam uma orientação sobre a prevenção e o autoexame das mamas. Ainda nesse período, o Coral Vozes Cor de Rosa, da Rede Feminina de Combate ao Câncer, fez uma apresentação no hall de entrada do Hospital. Colaboradores, visitantes e funcionários prestigiaram o show de vozes dessas voluntárias que tem como um dos principais objetivos levar alegria por onde passam. “Estamos aqui para participar e abrilhantar as palestras, além de enfatizar a importância da prevenção e do autoexame das mamas”, explica a coordenadora do Coral, Célia Ghedin Gaidizinski.

À tarde, pacientes e acompanhantes da quimioterapia do hospital conferiram duas palestras diferenciadas com danças e músicas. Além disso, elas participaram um momento de beleza, um café especial e participaram de um desfile. De acordo com a paciente em tratamento desde fevereiro de 2014, Márcia Ribeiro de Oliveira, estas iniciativas são muito positivas, pois o paciente se sente valorizado. “Isto é mais uma prova de carinho conosco, que passamos por momentos difíceis. A gente participa destes eventos também para retribuir toda dedicação que recebemos durante o tratamento”, frisa.

Como realizar o autoexame:

Segundo a enfermeira Patrícia Dias Gualtieri, o autoexame precisa ser uma rotina não só das mulheres, como também dos homens, já que o câncer de mama também pode ocorrer no sexo masculino. O procedimento é simples mas pode ser essencial para o tratamento da doença. Confira as dicas da profissional da Unimed:

“O autoexame deve ser feito uma semana após o período menstrual. O mais prático é fazê-lo durante o banho. Com uma das mãos na cabeça, deve-se deslizar a outra em todo o seio verificando se há algum caroço ou nódulo. Depois é importante verificar o tamanho dos seios, se estão proporcionais e por último verificar se há algum tipo de secreção no mamilo. Esse procedimento deve se estender até a região axilar. Caso alguma anomalia seja detectada, o correto é procurar o médico para que ele possa solicitar novos exames e encaminhar para os demais procedimentos”.

Detecção precoce (prevenção do câncer de mama):

O câncer de mama pode ser detectado em fases iniciais, em grande parte dos casos aumentando assim as chances de tratamento e cura.

Além de estar atenta ao próprio corpo, também é recomentado que mulheres de 50 a 69 anos façam uma mamografia de rastreamento (quando não há sinais nem sintomas) a cada dois anos. Esse exame pode ajudar a identificar o câncer antes do surgimento dos sintomas. Mulheres com risco elevado para câncer de mama devem conversar com o seu médico para avaliação do risco para decidir a conduta a ser adotada.

Câncer de mama – sinais e sintomas:

Os principais sintomas do câncer de mama são:

*Caroço (nódulo) fixo, endurecido e, geralmente, indolor;
*Pele da mama avermelhada, retraída ou parecida com casca de laranja;
* Alteração no bico do peito (mamilo);
* Pequenos nódulos na região embaixo dos braços (axilas) ou no pescoço;
* Saída espontânea de líquido dos mamilos.

Ao identificarem alterações persistentes nas mamas, as mulheres devem procurar imediatamente um serviço para avaliação diagnóstica. No entanto, tais alterações podem não ser câncer de mama.

Mamografia diagnóstica:

A mamografia diagnóstica, assim como outros exames complementares com finalidade de investigação de lesões suspeitas da mama, pode ser solicitada em qualquer idade, a critério do médico. Ainda assim, a mamografia diagnóstica geralmente não é solicitada em mulheres jovens, pois nessa idade as mamas são mais densas e o exame apresenta muitos resultados incorretos.