Foto: Celso da Luz/Criciúma E.C.

Hemerson Maria não suportou a má fase do Criciúma e foi demitido do clube após a derrota por 1 a 0 para o Próspera na noite desta quarta-feira, dia 31. O tricolor carvoeiro ainda não venceu no Campeonato Catarinense, somando apenas três pontos conquistados em 21 disputados, um aproveitamento de 14,3%. A informação da demissão foi dada pelo diretor de futebol do Criciúma, Waldecir Rampinelli e pelo presidente do clube, Anselmo Freitas. Além do técnico, também foram desligados o auxiliar técnico de Maria, Emerson Nunes, e o preparador físico Alexandre Souza.

“Foi decidido fazer uma mudança na comissão técnica. Agradecer ao Hemerson Maria, ao Emerson Nunes e ao Alexandre Souza pelos serviços prestados. São profisisonais gabaritados, capacitadados, que trabalharam forte, mas não conseguimsos colocar dentro de campo o que tivemos no treino. Página virada, o Criciúma continua”, disse Rampinelli.

Após a partida, o técnico chegou a ir para a coletiva pós-jogo. E afirmou que não iria entregar o cargo. “Da minha parte, não tem como jogar o boné não. O torcedor confiou na minha vida, a diretoria confia no meu trabalho, não tem como abandonar. Eu estou muito triste, gostaria de conseguir a vitória”, lamentou o técnico. Desde que chegou ao Criciúma no início da temporada, Hemerson Maria comandou a equipe em oito jogos. Foram sete partidas pelo Campeonato Catarinense e um jogo pela Copa do Brasil. O saldo foi de quatro derrotas e quatro empates.

O revés diante do Time da Raça, deixa o Criciúma em situação complicada. Na vice-lanterna, o Tigre pode ver a possibilidade de sair da zona de rebaixamento ficar ainda mais distante nesta quinta-feira, dia 1º. Acontece Concórdia e Avaí ainda jogam na rodada. Se as duas equipes vencerem, o Criciúma ficará a cinco pontos do Hercílio Luz, que será o primeiro time fora do rebaixamento.

Sem reforços

No mesmo anúncio, o diretor de futebol afirmou que o Criciúma não deve contratar novos jogadores. “Não temos condições de trazer novos reforços para o Catarinense. Os ateltas que aqui estão ainda podem nos dar resultados”, avaliou o Rampinelli. “A competição é difícil. Temos quatro partidas para fazer 100%. A partir de amanhã, nos jogos restantes, o Criciúma será comandado pelo Wilsão e pelo Lalo”, confirmou o diretor de futebol.

O presidente Anselmo Freitas também se manifestou. “É um trabalho sério fora e dentro de campo também. Estamos pensando muito no futuro do Criciúma. Vai ser difícil a gente dormir, temos uma responsabilidade com a cidade, com os empresários que estão nos ajudando. Eu estou triste, mas não com vergonha, porque estamos fazendo o trabalho para valorizar o torcedor. A situação é difícil, mas temos outros objetivos, ainda temos o Catarinense, a Copa do Brasil e principalmente conquistar o acesso para a Série B”, completou Freitas.