Manaus 07/05/2020 - Cenas no cemitério municipal de Manus-AM. Foto Jonne Roriz/Veja

O Brasil bateu novo recorde em número de mortos pela Covid-19 registrados em 24 horas. Foram 1.473 novos óbitos entre a quarta (3) e quinta-feira (4) desta semana. Foram registrados ainda nas mesmas 24 horas 30.925 novos casos oficiais de contaminação pelo novo coronavírus.

Com isso, o país ultrapassa a marca dos 600 mil contaminados com mais de 614 mil pessoas infectadas. O total de óbitos até aqui é de 34.021.

Com os dados divulgados pelo Ministério da Saúde na noite dessa quinta-feira (4), o Brasil passa a Itália e fica em 3º lugar no ranking mundial de óbitos pela Covid-19, atrás apenas dos Estados Unidos e do Reino Unido.

Dos casos confirmados, mais de 325 mil ainda estão em acompanhamento, o que representa 53% do total, e mais de 254 mil se recuperaram da doença, o que representa 41% do total de infectados.

Em números absolutos, São Paulo segue como epicentro da doença no país, com 8.560 mortes pela Covid. Em seguida, vem os estados do Rio de Janeiro, Ceará, Pará e Pernambuco, isso em número absoluto de mortos.

Em relação aos números proporcionais, quando comparamos com o total de habitantes por estado, as regiões Norte e Nordeste aparecem com os piores índices. A maior taxa de incidência do país é no estado do Amapá, com 1.365 casos oficiais para cada 100 mil habitantes, seguido pelos estados do Amazonas, Acre, Roraima e Ceará.

A taxa de incidência de mortos é maior no estado do Amazonas, onde morreram 52 pessoas para cada 100 mil habitantes. Em seguida, veem os estados do Ceara, Pará, Rio de Janeiro e Pernambuco, quinto estado em taxa de incidência de óbitos por Covid com 32 mortos para cada 100 mil habitantes.

Em entrevista coletiva no Palácio do Planalto, o secretário substituto de Vigilância em Saúde, Eduardo Macário, declarou que os casos no país seguem crescendo e que ainda não é possível prever quando será o pico da pandemia no país.

Agência Brasil