A chuva segue castigando todos estado de Santa Catarina em especial a regão serrana, litoral sul e grande Florianópolis. Vários municípios enfrentam dificuldades com cheias de rios, deslizamento de encostas e  bloqueios nas rodovias. Em Orleans as aulas em algumas unidades escolares do município estão paralisadas, na Escola Estadual Costa Carneiro, no centro de Orleans as aulas retornam somente na sexta-feira, 6 de maio, após um barranco na parte de trás da escola deslizar. Uma vistoria foi realizada no local pelo departamento de infraestrutura do município juntamente com a Defesa Civil do estado. Uma equipe do estado deve realizar uma vitoria mais detalhada para avaliar possíveis riscos para estrutura.

Ainda em Orleans vários trechos de estradas do interior estavam sem condições de trafegabilidade na manhã desta quarta-feira, 4 de maio, por causa das águas que invadiram  as pistas, a cabeceira de uma ponte foi destruída na comunidade de Brusque, na região central uma cratera se abriu na madrugada depois que parte do asfalto cedeu, o trecho está interditado.

Os transtornos e estragos acontecem em vários municípios das regiões da AMESC, AMREC e AMUREL. A Defesa Civil segue monitorando a situação dos rios, em especial o rio Araranguá e o rio Tubarão que estão com seus níveis no limite.

Quedas de barreira

Entre essa terça-feira, 03 e quarta-feira, 04, cidades na região Serrana do sul do estado de Santa Catarina registraram quedas de barreiras devido as chuvas fortes. Confira os locais que tiveram esses casos:

SC-120/Quilômetro 237 em Curitibanos: queda de barreira. Trânsito em meia pista.

SC-110/Quilômetro 410 em São Joaquim: queda de barreira. Trânsito em meia pista.

SC-114 em Painel: queda de pedras sobre rodovia. Trânsito segue normal.

SC-390 na Serra do Rio do Rastro: quedas de barreiras foram registradas e removidas. Chances de novas quedas estão sendo monitoradas.

Serra do Corvo Branco: não há registros de quedas de barreiras, mais o tráfego na rodovia durante esta manhã de quarta-feira, 04, está bastante prejudicada devido circunstâncias do local. Não é aconselhável utilizar o trecho durante esta quarta.

*A Polícia Militar Rodoviária informou que as quedas de barreira sobre as vias ainda serão removidas nesta quarta

ORLEANS

Moradores do bairro Alto Paraná foram orientados a sair de casa em Orleans após um deslizamento de terra na noite desta terça-feira, 03.

A residência foi isolada e os moradores também foram orientados a remover objetos de valor. A Defesa Civil ficou responsável pela ocorrência após o atendimento do Corpo de Bombeiros.

Os bombeiros também atenderam um desmoronamento de um barranco sobre uma residência, no bairro João Paulo. Os moradores também foram informados a desocupar o imóvel.

URUSSANGA

Uma reunião promovida pela Prefeitura Municipal de Urussanga foi realizada no final da tarde desta terça-feira (03) para debater sobre as chuvas fortes na região. No encontro, secretarias, diretorias, vereadores, Defesa Civil local e regional, além da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros, tiveram representantes à mesa. “As decisões não são só do executivo, são definidas assim, com toda equipe e com os órgãos de segurança, alinhando as melhores maneiras de agir em um momento como esse”, destacou o Prefeito de Urussanga, Jair Nandi.

O Coordenador Regional da Defesa Civil, Rosinei Da Silveira participou da reunião e destacou a importância de somar esforços com ações coordenadas durante momentos como este. Ele afirma que mesmo que não haja grandes ocorrências no município, é necessário estar sempre alerta e que as secretarias precisam continuar trabalhando juntas no atendimento à população. “A previsão é que a chuva continue, e para Urussanga, qualquer 10mm agora já é problema. O chão já está muito encharcado Muita água de cima ainda está vindo, a situação ainda não terminou. O efeito do ciclone, que está se formando, está elevando a maré que forma uma barreira e impede a água de sair para o mar”, explica Rosinei.

Visando organizar os trabalhos e o atendimento às ocorrências, as secretarias e diretorias estão atuando juntas na troca de informações e resolução de casos, de forma alinhada com a Defesa Civil Municipal e gabinete do prefeito. Confira as principais informações sobre cada área:

Interior de Urussanga

O secretário de obras é quem está monitorando as localidades e conta que os principais pontos de preocupação e alerta são:

Na comunidade de Belvedere, onde duas barreiras caíram na manhã de hoje (03). Elas já foram removidas, mas como há a possibilidade de mais deslizamentos e até queda de uma parte da estrada , já que há registros de rachaduras no chão que podem comprometer o acesso a comunidade, a orientação é que o trecho só seja usado por extrema necessidade. Quem passar pelo local, precisa tomar muito cuidado, principalmente a noite com a baixa visibilidade.

Na comunidade da Palmeira Alta, na divisa com o município de Orleans. Uma ponte está completamente submersa, sem condições das pessoas trafegarem por aquela área. A alternativa é a saída que vai para o asfalto, onde passa próximo ao galpão da Argeminas e sai na Palmeira do Meio.

Na Palmeira do Meio, na Gruta da Varginha. Lá também existe uma ponte de divisa com Orleans que também está intransitável.

Na comunidade do Rio Molha, há um ponto de alagamento próximo a madeireira, mesma situação de Armazém, onde uma açude está transbordando e fazendo com que a água invada a pista causando um alagamento que chega a 60 cm de altura.

Na Serrinha houve uma queda de barreira nesta terça-feira e a situação já foi resolvida, mas é necessário atenção ao passar pelo local.

Situação na região Central e arredores

O monitoramento do local está sendo feito por uma equipe, orientada pelo Coordenador da Defesa Civil de Urussanga, André João. Segundo André, o Rio dos Americanos está com boa vazão, não apresentando riscos até o momento. O maior alerta é quanto ao rio que corta o Bairro da Estação, região de maior alerta. “Na tarde de hoje, notamos uma baixa no volume de água, mas seguimos monitorando”, garante ele. Caso a água continue a subir e corra o risco de invadir residências, a retirada das famílias será realizada.

A principal ocorrência do dia foi um deslizamento de terra nos fundos de um imóvel, localizado na Rua Alfredo Gazzola, na Baixada Fluminense, que mobilizou a Defesa Civil de Urussanga. O Corpo de Bombeiros foi acionado para averiguar a situação. Ao chegar no local constatou-se que havia deslizado uma parte do barranco nos fundos das casas geminadas e que havia grande risco de novos deslizamentos devido a água represada do outro lado do muro e as chuvas constantes com o solo já encharcado. Com isso, o Corpo de Bombeiros orientou os moradores a sair do local, que foi isolado. A família se alojou na casa de conhecidos.

Assistência Social e abrigo

Caso haja a necessidade de abrigar famílias, o Centro Paroquial já está preparado para receber os urussanguenses. A Secretária de Assistência Social, Rosane De Brida Benedet conta que há cozinheiras e uma equipe de plantão. “Já arrumamos colchonetes, cobertores e toda a cozinha com lanches. A compra de colchões e outras alimentações, já estão alinhadas para, em caso de necessidade, serem efetuadas”, explica.

Aulas e o Transporte Escolar

Escolas municipais e estaduais, tiveram suas aulas canceladas entre esta terça-feira (03) a tarde e quarta-feira (04) integral. “A região está bem comprometida devido às chuvas e alagamentos e a gente não pode colocar a segurança dos nossos estudantes e colaboradores em risco. Por isso, na tarde de hoje e amanhã o dia todo, as aulas estão suspensas. Vamos avaliar a situação no final da tarde desta quarta-feira, para ver a possibilidade de retomada das aulas na quinta. Mas tudo dependerá desses pontos vulneráveis. Se o transporte não conseguir transitar com segurança, não vamos arriscar”, afirma a Secretária de educação de Urussanga, Janea Possamai.

As escolas de educação infantil municipais, porém, estarão de plantão para os pais que necessitarem, segundo a Secretária.

Com a suspensão do transporte escolar, o transporte de alunos para as faculdades da região, também não ocorre nestes dias. Segundo o diretor de transportes, Patrik Frasson, a medida se dá, por haverem registros de alagamentos em algumas cidades destino e por a Prefeitura não poder garantir o transporte dos estudantes para seus destinos finais no interior de Urussanga.

Apoio das Forças de Segurança

Desde ontem (02) pela manhã, a Polícia Militar de Urussanga está em estado de alerta. Os Policiais que estão em ronda nas ruas, estão auxiliando os órgãos municipais. Qualquer alagamento ou pontos de dano observados são informados diretamente para a Defesa Civil, que realiza o atendimento.

O Corpo de Bombeiros está de prontidão para realizar as ações de resgate e salvamento, se necessário. Os bombeiros de folga estão de prontidão.

Saúde e o alerta para o cuidado com as cheias

A Secretaria de Saúde alerta principalmente para o risco de doenças infecto-contagiosas devido ao contato com a água suja das chuvas que carregam uma série de bactérias e vírus.

Um dos principais problemas é a leptospirose, doença causada por uma bactéria encontrada na urina do rato e que pode entrar pela pele humana. Se a pessoa tiver contato com a água ou a lama das enchentes precisa ficar atento a sintomas como febre, dor muscular, náuseas e dor de cabeça. Nesse caso, será preciso procurar um médico imediatamente e relatar que teve contato com alagamentos.

É fundamental que se evite contato com as águas das enchentes. Caso isto seja inevitável, é recomendável:

Permanecer o menor tempo possível na água ou na lama.
Não deixe que crianças nadem ou brinquem na água e na lama das enchentes, pois, além do perigo das enxurradas, elas podem ficar doentes.
Evite manusear objetos que tenham sido atingidos pela água ou lama.
Proteja os pés e as mãos com botas e luvas de borracha ou sacos plásticos duplos.
Lave bem as mãos antes de preparar alimentos e ao se alimentar.
Procure beber sempre água potável, que não tenha tido contato algum com as enchentes, e a utilize no preparo dos alimentos, especialmente das crianças menores de um ano.
Caso seu domicílio seja atingido pela enchente, quando retornar, realizar limpeza com solução de água sanitária em paredes, utensílios e os arredores devem ser mantidos limpos livres de entulhos e matos. Caixas d’água e poços devem também ser limpos.
“Esses cuidados são essenciais para que as pessoas possam se prevenir contra doenças infectocontagiosas mais incidentes na época de chuvas, especialmente a leptospirose, que nos casos mais graves pode até levar à morte”, afirma a Secretária de Saúde, Robertina Goulart Nunes.

Após o período de chuvas, outro alerta é cuidar com objetos cheios de água parada, onde pode se transformar em criadouro de mosquito, Aedes aegypti, transmissor da dengue.

Equipe de plantão 24 horas durante as chuvas

Para atender a população em caso de emergências ocasionadas pelas chuvas e monitorar a situação no município, uma equipe está de prontidão enquanto a situação das chuvas continuar em período de alerta. A Defesa Civil de Urussanga disponibilizou dois números de contato direto que são: (48) 99955-4921 e (48) 99935-6591. Quem precisar de atendimento, pode também ligar para o 190 da Polícia Militar e 193 do Corpo de Bombeiros que estarão avaliando a situação e encaminhando para as equipes responsáveis.

Nova Avaliação

Uma nova reunião está marcada para às 13 horas desta quarta-feira (04), para que seja avaliada novamente a situação do município. Mais detalhes podem ser acompanhados pelas redes oficiais da Prefeitura de Urussanga no Instagram e Facebook.

GOVERNO DO ESTADO

O governador Carlos Moisés determinou nesta terça-feira a ativação da Sala de Situação da Defesa Civil estadual em razão das fortes chuvas que atingem várias regiões.

Carlos Moises esteve na sede do órgão no fim da tarde desta terça-feira, 03, para monitorar a situação das chuvas que caem de maneira incessante em Santa Catarina desde o dia anterior. O chefe do Executivo se reuniu com os técnicos do órgão. A previsão indica que deve continuar chovendo ao longo de toda a quarta-feira. As regiões que devem receber os maiores volumes pluviométricos são o Sul do Estado e a Grande Florianópolis. O Vale do Itajaí e a Região Serrana também estão em alerta.

“Acionamos a sala de situação e seguimos monitorando os mapas meteorológicos. Todos os órgãos do Estado estão de prontidão para atender as eventuais ocorrências. Os Grupos de Ações Coordenadas (GRACs) também foram acionados. A situação exige atenção. Em caso de emergência, a população deve ligar nos números 193 ou 199”, diz Moisés.

O chefe da Defesa Civil estadual, Davi Busarello, contou ao governador que já são diversas ocorrências de alagamentos e deslizamentos em diversas cidades de Santa Catarina. Ele relatou que os trabalhos estão sendo realizados em coordenação com as prefeituras. Até o momento, dois óbitos foram confirmados em São Joaquim, na Serra, de homens que estavam em um carro.

Os alertas de atenção máxima seguem até a próxima quinta-feira, com risco alto para alagamentos, inundações e deslizamentos, principalmente para o Litoral Sul. Devido aos grandes volumes de chuva registrados nas últimas horas, houve significativo aumento dos níveis dos rios, chegando em nível de alerta para inundação nas regiões do Litoral Sul, Planalto Sul (com destaque para a Bacia do Rio Tubarão), Oeste e Meio Oeste.