Foto: Roberto Bortolanza/NDTV

Fabiano Kipper Mai, de 18 anos, autor do ataque à creche Aquarela, em Saudades, no Oeste de Santa Catarina, já está no Presídio Regional de Chapecó. Ele recebeu alta hospitalar na manhã desta quarta-feira (12), após ficar oito dias internado devido aos ferimentos que ele mesmo cometeu no pescoço e tórax, tentando tirar a própria vida.

O boletim médico do HRO consta que a alta hospitalar aconteceu às 6h30. Ele ficou oito dias internado e precisou passar por cirurgia. O rapaz saiu do hospital em uma cadeira de rodas com o uniforme penitenciário de cor laranja. O jovem entrou em uma viatura do Deap (Departamento de Administração Prisional). Ele também estava com um curativo no pescoço.

Interrogatório

O autor da chacina foi interrogado na última terça-feira (10) pelo delegado Ricardo Casagrande. O interrogatório durou cerca de uma hora. O jovem prestou as declarações de forma espontânea, dispensando a presença de um advogado. O conteúdo do depoimento, no entanto, só será revelado pela polícia após a conclusão do inquérito.

A tragédia

O homem, de 18 anos, morador da cidade de Saudades, chegou à escola por volta das 10 horas da manhã desta terça-feira (4). De acordo com o delegado, ele invadiu o estabelecimento com uma adaga e já iniciou o ataque, agredindo primeiro a professora que veio a óbito no local. Em seguida, ele foi até uma das salas onde estavam a funcionária terceirizada e quatro crianças. O homem então passou a golpear a funcionária e as crianças com a adaga. Nesta sala, ele cometeu mais três homicídios e ainda deixou a funcionária gravemente ferida, que depois teve a morte confirmada. A quarta criança ferida, de acordo com o delegado Jerônimo, também estava nesta sala e permanece hospitalizada.

Depois de matar e ferir as funcionárias e as crianças, o homem tentou o suicídio usando a própria arma. Ele foi atendido pelo Corpo de Bombeiros e levado ao hospital de Pinhalzinho. Ainda no fim da tarde desta terça-feira, ele foi transferido ao Hospital Oeste de Chapecó, onde passou por procedimento cirúrgico e permanecia em estado grave.

Jerônimo afirmou em entrevista coletiva que o homem não tem histórico policial e era trabalhador. Em conversa com os pais de Fabiano, eles teriam relatado que o jovem era problemático, introspectivo, gostava de jogos online e violentos e maltratava animais. Na residência do rapaz foram encontrados R$11mil em espécie, as embalagens das armas usadas durante o crime e o computador, que foi apreendido para perícia.

Foram identificadas a professora Keli Adriane Aniecevski, 30 anos, e auxiliar Mirla Renner, de 20 anos, mortas no ataque. As duas são naturais da cidade e estão entre as cinco vítimas da tragédia. Já as três crianças mortas são: Sarah Luiza Mahle Sehn (1 ano e 7 meses); Murilo Massing (1 ano e 9 meses) e Anna Bela Fernandes de Barros (1 ano e 8 meses).

Uma quarta criança foi encaminhada ao hospital com ferimentos graves. O bebê de 1 ano e 8 meses sobreviveu à chacina. O menino foi socorrido pelos bombeiros e transferido para o HRO (Hospital Regional do Oeste) onde ficou hospitalizado na UTI. Ele passou por uma cirurgia de pulmão e após recuperação foi transferido para o Hospital da Criança, em Chapecó. A alta médica do bebê aconteceu no último domingo (9).

Via Rede Catarinense de Notícias