O mês de outubro iniciou com o alerta ligado em São Ludgero em relação aos casos de Raiva em bovinos. Com a vacina sendo a mais eficiente forma de prevenção o Secretário de Agricultura, Comércio, Indústria e Turismo, Paulo Sérgio Lorenzetti, pede para que os produtores imunizem os animais.

O secretário informa que nas últimas semanas vários animais morreram com sintomas da Raiva no município. “Peço que os produtores vacinem seus animais, pois o prejuízo pode ser grande. A doença é transmitida pelos morcegos. Além disso, tem o problema da transmissão às pessoas.

Temos casos confirmados em São Ludgero e região”, lembra o secretário Paulo. Ele completa informando que as coletas e encaminhamentos para exame eram feitas pelo profissional Miguel da Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola (Cidasc). “O Miguel se aposentou e não sabemos ao certo quem o substituirá para coletar amostra de material do sistema nervoso e fazer o encaminhamento referente ao exame”, completa o secretário.

O Gestor do Departamento Regional de Tubarão da Cidasc, Samuel Maccari Redivo, informa que o primeiro passo é os produtores procurarem o Escritório local da Cidasc para fazer a notificação. “Quem está responsável por fazer as coletas é o profissional Eliéser Ferreira Gobbe, do Escritório da Cidasc de Braço do Norte”, esclarece. Mais informações direto no Escritório da Cidasc em São Ludgero ou pelo fone 3651 1864.

A doença é causada por um vírus que pode infectar animais domésticos e selvagens, e que pode ser transmitida às pessoas pelo contato com a saliva infectada através de mordidas ou arranhões. Segundo a Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina (Dive) nos municípios que integram a Associação de Municípios da Região de Laguna (Amurel), não há casos confirmados da doença em humanos. O último registro foi em 2019, quando uma mulher de 58 anos não resistiu à doença na cidade de Gravatal.