O Aeroporto Regional Humberto Bortoluzzi, de Jaguaruna, ainda está longe de receber passageiros. A constatação é de Ronaldo Castro presidente da RDL Construtora, empresa que vai administrar a unidade. Para que entre em operação, há a necessidade de elaboração do plano diretor para ordenar as construções em torno do aeroporto, o que deve levar, pelo menos três meses.

Além disso, são necessários taxistas, lanchonetes e comércios nas proximidades do terminal para atender os usuários. A instalação desses estabelecimentos só ocorrerá após licitação. Segundo Castro, uma equipe de trabalho chegará “em breve” ao local para começar os trabalhos.

E, mesmo assim, quando tudo estiver pronto, o aeroporto não estará apto para receber aeronaves de grande porte. “Aeronave de grande porte só vai pousar em Jaguaruna com a pista de 45 metros (de largura). Caso contrário não tem como”, disse o presidente da RDL Construtora, Ronaldo Castro, à Unisul TV. Atualmente, a pista de pouso tem 30 metros de largura.

Segundo o Portal Clicatribuna na semana passada, o presidente da RDL visitou as instalações do aeroporto, acompanhado de prefeitos dos municípios próximos. A reportagem tentou contato com o secretário estadual de Infraestrutura, Valdir Cobalchini, mas não conseguiu.

Previsões subestimadas

No ano passado, a previsão do Governo do Estado era que o aeroporto entrasse em funcionamento no último trimestre de 2012. Como o Tribunal de Constas do Estado (TCE) determinou a suspensão do processo licitatório para a escolha da empresa que administraria o aeroporto, a previsão mais recente era deixá-lo operando até o início da Série A do Campeonato Brasileiro. A justificativa era que, assim, as delegações das principais equipes de futebol do país que vêm a Criciúma não precisariam pousar em Florianópolis ou Porto Alegre (RS).

Agora, se a previsão do presidente da RDL se confirmar, é possível que acabe o Campeonato Brasileiro antes do aeroporto entrar em operação. O último jogo do Criciúma em casa é no dia primeiro de dezembro.