Depois de seis dias internado, Lucas Eduardo Tobin, de 16 anos, morreu com meningite bacteriana no Hospital São Francisco, em Concórdia, no Oeste de Santa Catarina. A doença foi confirmada pelo médico neurologista que tratou o jovem, Daniel Sialho, e a morte ocorreu pouco depois da 0h desta quarta-feira.

Segundo o neurologista, a bactéria responsável (tipo estreptococos) não pode ser transmitida entre pessoas. Lucas Tobin é natural da cidade de Ipumirim e, até ser internado, ficou 10 dias com os sintomas da doença — dor de cabeça, febre, dor a movimentação do pescoço — e sem o tratamento efetivo. Os pais o encaminharam para o hospital no fim da tarde do último dia 5 de junho.

— São os mesmos sintomas de um resfriado, inicialmente. Por isso, é importante observar a evolução se iniciar a dor no pescoço e buscar tratamento— disse o médico.

A vigilância sanitária de Concórdia está investigando onde o garoto pode ter contraído a doença: se foi na escola do garoto, o Instituto Federal Catarinense em Concórdia, ou na cidade de Ipumirim. Mesmo assim, não há risco para uma epidemia.

Lucas Eduardo Tobin foi velado na manhã desta quarta-feira e enterrado durante a tarde. O médico avaliou a morte encefálica do adolescente — completa e irreversível parada de todas as funções do cérebro — às 19h desta terça-feira.

Sobre a doença:

Meningites virais
O quadro é mais leve. Os sintomas se assemelham aos das gripes e resfriados. A doença acomete principalmente as crianças, que têm febre, dor de cabeça, leve rigidez da nuca. A doença, na maioria das vezes, se resolve sozinha.

Meningites bacterianas
As meningites bacterianas são mais graves e devem ser tratadas imediatamente. Os principais agentes causadores da doença são as bactérias meningococos, pneumococos e hemófilos, transmitidas pelas vias respiratórias ou associadas a quadros infecciosos de ouvido, por exemplo. O tipo estreptococos, como foi o caso de Lucas, geralmente está incubado no corpo e não causa risco às outras pessoas que convivem com o paciente.

Os sintomas são: febre alta, mal-estar, vômitos, dor forte de cabeça e no pescoço, dificuldade para encostar o queixo no peito. Nos bebês, pode-se observar a moleira (topo da cabeça) um pouco inchada. A maior urgência é quando há manchas pelo corpo: é sinal de que a infecção está se espalhando rapidamente pelo sangue.

Observação: É importante ir imediatamente ao médico em todos os casos. Dependendo do tipo da bactéria, o tempo para óbito pode ser de até 48h.