O ano de 1974 ficará para sempre na memória do povo Catarinense, principalmente de quem viveu a tragédia das cheias daquele ano.
O mês de março chovia acima do normal, os rios transbordaram obrigando pessoas, aquelas que tiveram tempo a abandonar tudo e correr, lutar pela própria vida.

Cidades inteiras foram devastadas pela força das águas, Lauro Müller e Tubarão viviam a maior catástrofe de suas histórias, que ainda hoje são contadas, lembradas e fazem as pessoas que passaram por esse momento se emocionar ao relembrar daquele mês de março.

Mais de 200 vidas perdidas que abalou, transformou toda uma região e mexeu com o pais inteiro. Moradores principalmente das cidades de Lauro Müller, Orleans e Tubarão que viveram a catástrofe de 1974, ainda hoje em dias de chuva forte se preocupam e relembram daquela que foi sem duvida a maior tragédia da região sul de Santa Catarina, casas, empresas, carros, animais e os trilhos do trem que margeavam o rio ficaram completamente destruídos.

Lauro Müller ainda tentava se recuperar da enchente de 1971, voltou a vivenciar o mesmo pesadelo naqueles dias 23 e 24 de março de 1974, quando sofreu com os estragos causados pela segunda grande enchente. A população depois de ver seus sonhos desaparecerem com as aguas, ainda sofreram pela falta de energia elétrica e escassez de linhas telefônicas, estragos causados pela força das águas. Na cheia de 1971 seis pessoas perderam a vida,  e ainda hoje os danos causados na época não saem da cabeça daqueles que presenciaram a catástrofe.

Durante todo mês várias homenagens, exposições e um documentário foi exibido pela TVAL na ultima quinta feira (21), uma missa na Catedral Diocesana de Tubarão, às 9h30min, deste domingo (24) será celebrada em memória dos mortos na tragédia.

Confira algumas fotos históricas da enchente em Lauro Müller e Tubarão: