Por mais que a Feira AgroPonte já seja tradicional no sul de Santa Catarina, a sua 10ª edição foi especial: juntou os setores do agronegócio, da agricultura familiar e da pecuária, reforçando o potencial encontrado na região e também o acolhimento do público ao evento. Durante os cinco dias, de quarta a domingo, o que foi visto entre os corredores eram olhares atentos, curiosos e muitas vezes encantados, pelo o que estava sendo exposto pelos participantes.

Nesta edição, o destaque também ficou para a programação que contou com o primeiro PropecSul, onde além da palestra técnica com o zootecnista Roberto Vilhena Vieira, teve o julgamento da raça Zebuína Brahman. E também, a 1ª Exposição Sul Catarinense do Dorper e White Dorper, com a participação do jurado Lucas Lemos Ranzani, partilhando o seu conhecimento sobre os bichos.

Mas, havia muito mais a espera do público: mais de 40 associações da agricultura familiar, indústrias, revendas e concessionárias de máquinas, tratores, colheitadeiras, equipamentos, ferramentas, tecnologias e insumos para a produção no agronegócio, agricultura e pecuária.

O olhar dos expositores por trás desta edição

Um dos atrativos mais procurados pelos visitantes foi a exposição de animais, composta por diversas raças de bovinos, ovinos, equinos, pássaros, roedores e peixes. “Sabemos que em cada nova edição, a AgroPonte vem melhorando, mas a décima edição disparou. É algo inédito o que pudemos observar, tanto em número de público e o seu envolvimento, quanto na organização que foi nota mil”, menciona o proprietário da Cabanha Bez Batti, Arnaldo Bez Batti.

O empresário ainda teve mais um fator especial na feira, onde seus bovinos da raça Brahman, ganharam todas as premiações no julgamento da raça. “Nós tivemos o prazer e o privilégio de sermos contemplados com os prêmios da competição, e isso não tem dinheiro que pague”, reforça Bez Batti. Outro quesito observado, foi a amizade e a parceria entre os criadores presentes.

Esse é o caso do proprietário da Fazenda Campo Novo, Paulo César Lemos, que mora em Tijucas e é amigo de Arnaldo. “Me sinto muito bem ao estar aqui no Sul Catarinense, já andei por todo o Brasil ao lado do seu Arnaldo, em busca de boas genéticas para aprimorar os animais. Trabalho com a pecuária há 25 anos e fico muito contente em participar da AgroPonte, admiro a região e me sinto acolhido pelas pessoas”, menciona Lemos.

Mais setores em destaque na exposição

O difícil mesmo, era escolher apenas um estande para experimentar os quitutes e produtos deliciosos que a agricultura familiar trouxe para a feira. Fruto de muito trabalho e dedicação, havia uma imensa variedade a dispor dos visitantes, além das belas peças feitas em artesanato. “Criciúma merecia um evento como a AgroPonte para valorizar a agricultura e o agronegócio da região e, esta edição, está sendo especial também para nós, por termos celebrado os 30 anos de Epagri”, relata o gerente regional da Epagri, Edson Borba.

Durante a feira, a Epagri fez uma campanha de arrecadação de alimentos junto à Casa Guido, onde o que foi doado, será entregue para as famílias das crianças que estão em tratamento na instituição. “Estamos muito contentes por termos feito essa ação, e os feirantes e os expositores da agricultura familiar que participaram, nos demonstraram a satisfação de estarem de volta na AgroPonte”, menciona Borba. “Só temos a agradecer à organização da feira por proporcionar um espaço que valoriza a agricultura e o agronegócio de Criciúma e região”, acrescenta.

Diversas empresas do ramo marcaram presença nesta edição, expondo seus produtos e serviços aos visitantes. Uma delas é a Olim Agro, que tem grande tradição no setor agrícola no Sul Catarinense, com sede em Jacinto Machado. A empresa é completa no setor do agronegócio: tem produtos de A a Z para os produtores, atuando desde a parte de sementes, aos defensivos agrícolas, implementos, insumos, tratores, entre outros. Inclusive, além de comercializar arroz para algumas regiões do Brasil, exporta para países na África e na América Central.

“A AgroPonte é muito importante pelo relacionamento que podemos ter com o produtor, que é nosso cliente, assim como mostrar para o público, tudo o que a Olim fornece”, comenta o supervisor técnico de insumos da empresa, Diego Zanin. Quanto à participação desta edição, a satisfação veio como marca. “Houve uma movimentação grande de produtores, o que gerou um bom número de negócios e tantos outros que ficaram engatilhados, e que nossos consultores estão preparados para irem atrás nas próximas semanas e fecharem negócios”, complementa.

Edição resumida em missão cumprida

Para o diretor da NossaCasa Feiras & Eventos e idealizador da AgroPonte, Willi Backes, a 10ª Feira AgroPonte pode ser descrita em três palavras: felicidade, gratidão e entusiasmo. “O que pudemos sentir nos cinco dias desta edição, foi o clima de acolhimento entre o público e os expositores, a parceria dos criadores e também o encanto por trás das pessoas que vieram nos prestigiar. E tudo isso, não tem preço”, menciona Backes.

Agora, as expectativas ficam para as próximas edições do evento. “Quero registrar, em nome de toda a organização, o nosso muito obrigado ao público, a todos os expositores e parceiros, que fizeram desta AgroPonte, inesquecível e memorável”, reforça.

A 11ª Feira AgroPonte já tem data marcada: de 17 a 21 de agosto de 2022.